007 Contra Goldfinger

Nov 11, 2012

Imagens

Primeiro filme da série com o diretor Guy Hamilton, que faria muitos mais, esse James Bond segue um ritmo mais pausado de início, o que permite um acompanhamento melhor da trama. Por outro lado, preso ao modo didático, pode soar um pouco decepcionante no final. O vilão Auric Goldfinger (Gert Fröbe) é um dos mais lembrados talvez pelo seu plano mais ambicioso: tornar inutilizável todo o ouro das reservas norte-americanas e como consequência multiplicar o valor do seu. É curioso também notar relação aparentemente amistosa entre Goldfinger e o agente britânico, onde até golfe jogam juntos (e seu capanga coreano mudo, Oddjob, é uma diversão à parte).

O fato é que o esquecimento temporário da ESPECTRO, a organização criminal que Bond precisa sempre combater, fez bem por trazer novos ares. A Bondgirl mais inesquecível é a Pussy Galore (Honor Blackman), uma vilã bipolar e cujo nome dá abertura para muitas frases inspiradas do agente. Sean Connery continua sendo um James Bond que usa seu charme e inteligência da melhor maneira possível, mas começa a demonstrar sentimentos antes inexistentes no assassino sangue frio dos dois primeiros longas.

Wanderley Caloni, 2012-11-11. 007 Contra Goldfinger. Goldfinger (UK, 1964). Dirigido por Guy Hamilton. Escrito por Richard Maibaum, Paul Dehn, Ian Fleming. Com Sean Connery, Honor Blackman, Gert Fröbe, Shirley Eaton, Tania Mallet, Harold Sakata, Bernard Lee, Martin Benson, Cec Linder. IMDB.