A Difícil Arte de Amar

Um roteiro e um romance de Nora Ephron (Julie & Julia, Mens@gem pra Você, Sintonia de Amor, A Feiticeira…) e uma direção de Mike Nichols (Closer, A Gaiola das Loucas) conseguem dar o tom mais que adequado para que uma jovem Meryl Streep, mas já ganhadora de um Oscar por “Kramer vs Kramer”, conseguisse dar espírito para Rachel, uma jornalista de meia-idade que após o divórcio teme por um novo casamento, mas que mesmo assim se entrega sem receios aos sentimentos pelo também jornalista Mark (um já velho Jack Nicholson), que possui fama de solteirão e não se ater por muito tempo à mesma mulher.

É preciso notar que o filme envelheceu muito mal, mas mesmo assim as virtudes de direção de Nichols e atuação de Streep prevalecem, embora a hoje batidíssima música-tema e trilha sonora da maioria das cenas caia muito mal, e chegue a estragar diversas sequências que harmonizariam muito mais em seu silêncio completo, uma vez que apesar do pano de fundo ser um romance o que vemos na tela é um drama dos mais realistas e pesados, e nossa identificação com o casal é muito forte graças às situações comuns que presenciamos.

No entanto, as relações entre os casais de hoje em dia não poderiam ser mais diferentes do que nesse filme. Muitas coisas mudaram nesses 26 anos, e hoje uma história dessas dificilmente seria rodada, por falta de público. O que não deixa de ser ironicamente um final feliz para o drama da mulher divorciada.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2012-06-13. A Difícil Arte de Amar. Heartburn (USA, 1986). Dirigido por Mike Nichols. Escrito por Nora Ephron, Nora Ephron. Com Meryl Streep, Jack Nicholson, Jeff Daniels, Maureen Stapleton, Stockard Channing, Richard Masur, Catherine O'Hara, Steven Hill, Milos Forman. imdb