A Gente

2017/09/05

A Gente é um filme de pouca repercussão feito em 2013 pelo diretor/roteirista Aly Muritiba (do ótimo Para Minha Amada Morta) quando ele ainda não era tão famoso. Agora que ele é famosinho as distribuidoras pensaram em lançar em alguns cinemas do país. Sabe como é: Brasil. Com tons de documentário caseiro, Muritiba volta à sua antiga vida de agente penitenciário por sete anos e faz uma imersão de quase dois anos para ganhar a confiança de sua antiga equipe e dos presos de uma prisão no Paraná. Tudo é filmado sem narrações, como ficção criada na montagem e sem atores profissionais.

O resultado é um filme inerte, pausado, quase hermético. Aqui é explorada a falta de recursos das prisões como um chamariz, mas no fundo o que está sendo discutido é como os agentes não possuem ferramentas para fazer o seu trabalho decentemente, e em termos gerais como a incompetência é uma virtude em terras tupiniquins. Vemos o inspetor penitenciário realizando reuniões com seu time para melhorar o trabalho, mas dia após dia algo não está certo e os procedimentos não são seguidos. Ninguém está nem aí.

Filmado com um realismo amador que pode prejudicar os que gostam de uma perfumaria, A Gente é um trocadilho engraçado que também vira uma analogia com religião, onde os carcereiros são comparados aos cuidadores de porcos na Antiguidade. E os porcos (ou presos) são criaturas imundas, abandonadas e amaldiçoadas.

Não é à toa que o filme recebeu pouca ou nenhuma verba governamental. Porque até vai fazer um filme defendendo mais dinheiro para as prisões. Mas chamar os presos de amaldiçoados, e seus cuidadores de profissão desprivilegiada, é forçar demais a natureza ofendidinha do brasilis generis.

Com toques de trabalho inacabado, “A Gente” vai até o fim fiel à sua concepção, e realiza um trabalho que é facilmente esquecido, embora não necessariamente irrelevante. É a conclusão de uma trilogia pessoal do diretor, que vai galgando aos poucos posições na cinematografia relevante nacional. E, tomara, que continue independente da praga estatal.

★★★★☆ A Gente. Brazil, 2013. Direction: Aly Muritiba. Script: Aly Muritiba. Edition: João Menna Barreto. Aly Muritiba. Cinematography: Elisandro Dalcin. Runtime: 89. Gender: Documentary. Release: 5 October 2013 (Rio Film Festival). Category: movies Tags: cabine

Share on: Facebook | Twitter | Google