A Nação Que Não Esperou Por Deus

2015/07/18

O trabalho de Lúcia Murat, de Brava Gente Brasileira, já se torna relevante uma vez que é um documentário que brinca com uma ficção dirigida por ela mesma 15 anos atrás, antes da vinda da tecnologia na aldeia dos Kadiwéus, o último povo guerreiro indígena em solo brasileiro, que já tendo sua cultura destroçada pela TV e religião brancas, agora corre o risco de ter suas terras completamente tomadas por fazendeiros, já que o governo brasileiro aparentemente “se esqueceu” que elas foram reconhecidas em retribuição por lutarem lado-a-lado na Guerra do Paraguai.

Com um início um tanto irregular, tanto em ritmo quando em significado, talvez seja essa mesma a sensação de acompanhar caricaturas indígenas vestidas de calça jeans e camiseta, falando um português impecável – ainda que isso se mescle com a língua nativa entre eles – e que se diverte assistindo TV. A tribo assistindo à Brava Gente Brasileira, vendo o próprio povo vestindo uma ficção em que são bravos guerreiros, é um dos melhores momentos da introdução.

O que se segue, porém, é infinitamente melhor. Lúcia Murat usa como ferramenta a transição no tempo e na linguagem, entre documentário atual e ficção antiga, sendo que a ficção se assemelha mais a um documentário. Esse jogo de símbolos é o que sustenta um trabalho irrepreensível de narrativa, e mesmo que use as tradicionais entrevistas de um documentário, elas não se sentem burocráticas, mas fluidas e pertencentes a um todo que discute a posição do índio em terras que lhe pertenciam.

Na verdade, vai mais além. Em seu terceiro ato, fatos narrados por um letreiro final flertam tanto com a ficção quanto com a realidade, empurrando o longa ainda mais perto das miríades dos significados não-traduzidos por palavras, mas compostos de imagem e ação. Não há diálogos em “A Nação que não Esperou…” que consiga traduzir o conjunto de sua própria obra.

★★★★☆ A Nação Que Não Esperou Por Deus: The Nation That Didn't Wait for God. Brazil, 2015. Direction: Rodrigo Hinrichsen. Lúcia Murat. Script: Lúcia Murat. Edition: Lucas Cesario Pereira. Mair Tavares. Cinematography: Leo Bittencourt. Runtime: 89. Gender: Documentary. Category: movies Tags: cabine

Share on: Facebook | Twitter | Google