A Separação

Aug 24, 2015

Imagens

Esse filme foi o vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro, além de indicado a melhor roteiro original. Ele também está aí para provar como falso esse preconceito de “filme iraniano” como sinônimo de filme parado, difícil, do tipo que só os críticos gostam.

Sua história é simples e contada de maneira sensível. Simin (Leila Hatami) é uma mulher decidida a sair do país, pois acredita que terá melhores condições de criar sua jovem filha (Sarina Farhadi). No entanto, seu marido (Peyman Moaadi) tem que cuidar de seu pai com Alzheimer (Ali-Asghar Shahbazi), e a única solução possível parece ser a separação do casal. O processo, no entanto, que parecia uma briga comum, acaba ganhando contornos de uma novela mexicana quando em uma briga com a moça que contratara para ajudá-lo (Razieh) ele é acusado de fazê-la perder seu bebê de cinco meses.

A câmera de Asghar Farhadi – o diretor, roteirista e produtor – passeia pelos personagens capturando fragmentos de expressões que passam despercebidos dos personagens principais. Para nós, espectador, ele quer mostrar não só o drama, mas o impacto gerado em cada pessoa envolvida, e muito mais as perifericamente envolvidas, como a filha do casal e seu avô. Farhadi não se esquece da religião como um ingrediente poderoso, que se une às diferenças de classes entre as duas partes em conflito para gerar um microcosmos de detalhes culturais que passariam despercebidos se não estivessem completamente inseridos na história.

O filme não é lento, mas ritmado e que flui a todo o momento. Como um bom filme de tribunal, sempre que um novo detalhe é revelado fica difícil tomar um lado, e será uma coisa normal se você ficar trocando de opinião constantemente durante o embate, já que não há mocinhos e bandidos facilmente identificáveis, e a única coisa honesta de fazer é prestar o máximo de atenção para cada possibilidade, um passatempo tão arrebatador quanto a luta de seus personagens em vencer.

Wanderley Caloni, 2015-08-24. A Separação. Jodaeiye Nader az Simin (Iran, 2011). Dirigido por Asghar Farhadi. Escrito por Asghar Farhadi. Com Peyman Moaadi, Leila Hatami, Sareh Bayat, Shahab Hosseini, Sarina Farhadi, Merila Zare'i, Ali-Asghar Shahbazi, Babak Karimi, Kimia Hosseini. IMDB.