Ajuste de Contas

Desde o começo a ideia de colocar Sylvester Stallone e Robert de Niro de volta ao ringue, no mesmo ringue, parecia um ótimo plot que estava faltando na história do Cinema. O fato de ambos os atores já terem passado do tempo e estarem respirando com dificuldade enquanto um tenta golpear (ou pelo menos enxergar) o outro se torna um bônus, já que o passado de rivalidade que o filme constrói em torno dos dois profissionais (os pugilistas perderam em sua carreira apenas um para o outro) rivaliza com o ódio e ressentimento que os afetou em suas vidas pessoais durante 30 anos após a última luta (o que envolve traição e um filho bastardo).

Brincando com referências tanto de Touro Indomável quanto de Rocky — mais este último, por ser mais conhecido do grande público — as melhores piadas ficam por conta, obviamente, da idade avançada dos pugilistas e a situação ridícula de uma nova luta entre eles. Usando artifícios atuais, como os vídeos que “viralizam” no YouTube com brigas e eventos polêmicos protagonizados pelos dois, essa sede das pessoas pelo estilo MMA de lutas (abordado de forma jocosa) acaba se tornando a maior crítica social sobre isso, especialmente se considerarmos a conclusão que os dois rivais chegam ao fim da luta.

Pecando apenas por não resolver satisfatoriamente os dilemas pessoais de ambos (a não ser que você concorde que um passeio pela calçada ou um livro de recortes pode resolver atritos que se estenderam por 30 anos), Ajuste de Contas é uma ótima notícia até para quem não suporta mais as produções politicamente corretas, pois não tem sequer medo de fazer piada entre sexo oral e balas de jujuba com uma criança.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2014-01-25 imdb