Amor e Revoluçao

Wanderley Caloni, April 23, 2019

Esse filme com a Emma Watson, a Hermione que virou feminista (portanto feia), conta uma história baseada em fatos reais como um drama, mas vira uma piada pronta. Começa com os bonitos revolucionários comunistas tentando se proteger do feio golpe militar de direita, mas quando o casal de crushes são enviados para um campo de trabalhos forçados onde se planta e se descasca muita batata e onde ninguém pode sair, ou seja, o paraíso comunista, eles não gostam. Difícil agradar jovenzinhos revolucionários.

A Hermione é uma guria que ficou magra demais, deve ter feito uma dieta comunista para se preparar para o filme. Aqui ela faz uma aeromoça alemã falando inglês, mas não tem problema porque nesse filme todo o Chile fala inglês (graças ao imperialismo ianque). Ela tem o seu amorzinho com um cara que tira excelentes fotos, mas depois do golpe ele é levado para a sala de tortura e vira um retardado. Mas peraí, ele já não era comunista?

Ah, não, agora ele está fingindo ser retardado. E Hermione entrou na dança também, indo se hospedar em uma Auschwitz para nazistas em plena América do Sul. Por um breve momento sinto um ar de O Conto da Aia misturado com 1984.

Mas a real é que o dono do lugar é um sacerdote cristão moderno (Michael Nyqvist dando medinho), que come criancinhas, mas mantém velhos hábitos da igreja, como bater em mulheres submissas. Não que isso seja exclusividade dos religiosos, como já demonstraram os negros norte-americanos e sua aclamada cultura do “nós é que temos o direito de bater em nossas mulheres”.

Voltando para o filme. Ele tenta ser sério e dramático, com trilha sonora triste e roupas cinzentas, mas os homens que se reúnem para bater nas mulheres de noite parecem uns retardados, repetindo frases de apoio genéricas como “yeah”, “isso mesmo”, “vai fundo”. Não é bem assim que você reproduz uma seita patriarcal, assim como não é separando por completo homens e mulheres que você deixa os homens felizes.

Ou todos são gays, o que faria sentido… Mas lembrei de um fato mais curioso ainda. Diz a historinha que esse lugar existiu por quarenta anos e que o regime Pinochet não assumiu nenhuma responsabilidade pelo apoio a esse maluco. Porém, a seita já existia antes, como se pode verificar pela moça que ia casar, que disse que estava lá desde os 9 anos. Algo errado não está certo.

Ou o roteiro foi feito por um comunista feminista. Elxs não costumam ser bons de lógica, mas em contrapartida têm a melhor dieta pra emagrecer. Você viu como está a Hermione?

Imagens e créditos no IMDB.
Amor e Revoluçao ● Colonia. Alemanha, França, Luxemburgo, Reino Unido, EUA, 2015. Dirigido por Florian Gallenberger, escrito por Torsten Wenzel e Gallenberger. Com Emma Watson, Daniel Brühl, Michael Nyqvist. ● Nota: 3/5. Categoria: movies. Publicado em 2019-04-23. Texto escrito por Wanderley Caloni.


Quer comentar?