Amor, Plástico e Barulho

Esse filme exemplifica bem como, se você for cinéfilo, não precisa se identificar com o tema da história para gostar da arte. E a arte aqui é bem controversa, pois gira em torno daquelas bandas bregas de axé ou outra coisa que não me vem à mente, mas que gera artistas quase sempre de origem pobre e que mantém seus “traços socio-culturais”. No começo, uma estranheza, mas logo vira um encanto, uma aventura em um universo escondido dos menos aventureiros dessa onda (como eu).

Com Jennyfer Caldas e a estonteante Maeve Jinkings, que fez também um ótimo papel em O Som ao Redor. A direção é de Renata Pinheiro, que co-escreve esta histórica com Sérgio Oliveira.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2015-01-08 imdb