Argentina
Wanderley Caloni, 2017-03-31

Shows musicais tendem a não parecer muito cinematográficos. No caso de “Argentina”, do documentarista musical Carlos Saura, há um quê para tornar a experiência narrativa o mais próxima de uma visão lírica da visão do cineasta a respeito do folclore da região de Zonda, próximo às cordilheiras. Dessa região de San Juan, pouco ao norte de Mendoza, povos se moviam para a igualmente tortuosa região de Salta, e no caminho espalharam sua cultura que nesse longa é visto em formas, movimentos, instrumentos, canções e música. Isso há muito tempo atrás. Hoje, em um galpão de La Boca, bairro de Buenos Aires, Saura reúne um time de artistas excepcionais para reviver através de sua câmera e gigantescos telões aquela época, evocada pelas cores desérticas e noturnas do amarelo e azul. Tambores antigos, pianos e outros instrumentos de corda rivalizam com a potência das encantadoras e viscerais vozes que ouvimos cantar pequenos pedaços de poesia ecoando pelo estúdio improvisado. “Argentina” é para mostrar ao mundo que o país não possui apenas Tango em sua veia musical, mas algo igualmente intenso, dramaticamente vivo e tecnicamente soberbo.

Crítica completa na estreia do filme no CinemAqui.

★★★★★ Zonda: folclore argentino. Argentina. 2015. Direção: Carlos Saura. Roteiro: Carlos Saura. Elenco: Pedro Aznar, Juan Falú, Marian Farías Gómez, Gabo Ferro, Liliana Herrero, Jairo, Luciana Jury, Horacio Lavandera, Luis Salinas. Edição: César Custodio, Lara Rodríguez Vilardebó. Fotografia: Félix Monti. Duração: 85. Documentary. #cabine