As Aventuras de Tintim

May 17, 2015

Imagens

Quem diria que, no meio de tantos filmes de super-herói machões com frases de efeito e diferentes efeitos digitais para fazer você comer pipoca freneticamente, As Aventuras de Tintim seja o que possui o personagem mais maduro e o conflito mais adulto de todos?

Baseado nos quadrinhos do desenhista francês Hergé, além de uma série de animação, o filme usa aquela tecnologia de motion capture usada no Expresso Polar e Os Fantasmas de Scrooge, só que sete anos depois enxerga-se a evolução. Ou talvez seja apenas uma adaptação ao universo de Tintim, o repórter intrépido que faz jornalismo de verdade e vai em aventuras ao redor do mundo em busca dos fatos. As pessoas desse mundo são caricatas, mas esbanjam empatia se comparadas às crianças amaldiçoadas de Expresso Polar, ou até mesmo do (também caricato) Jim Carrey Charles Dickeniano. Uma física engraçada foi aplicada nesse mundo, que é quase real, mas que obviamente tem seus traços cartunescos. O “pior” é que essa decisão arriscada em um filme de caráter infanto-juvenil funciona maravilhosamente bem, como podemos comprovar na sequência do avião, um dos pontos fortes da trama.

É igualmente satisfatório entender que a trama é secundária à aventura, da mesma forma como era com os bons e velhos Indiana Jones. Tanto que não há muita complexidade. Apenas o suficiente para nos manter entretidos enquanto nossos heróis conseguem se safar de perigos muito maiores do que Homem de Ferro e Thor sequer sonharão: balas de revólveres prontos para matar um ser humano. Por que super-heróis temeriam um revólver? Nem seres humanos vulneráveis morrem em seus filmes!

E mesmo exaltando a aventura, o personagem interpretado pelo eterno Andy Serkis (Trilogia do Anel, Planeta dos Macacos, apenas para citar dois), o Capitão Haddock, possui um drama complexo envolvendo seus antepassados e sua própria autoestima. Afogando suas mágoas eternamente no álcool, ele é o protagonista também dos momentos mais cômicos do filme, além de se tornar tão carismático quanto o próprio Tintim, que interpretado por Jamie Bell, possui a calma de um verdadeiro cavalheiro. A amizade que se forma entre esses dois é algo tocante e divertido ao mesmo tempo.

Concluindo a aventura principal de maneira satisfatória, o filme demonstra que é apenas a abertura de um mundo de infinitas missões e furos de reportagem. Mas não da forma como está sendo feito hoje em dia, em que boa parte da diversão ficou para o próximo filme, que irá empurrar boa parte da emoção dos trailers para o próximo filme e assim por diante. Longe disso. As Aventuras de Tintim entende que um filme precisa sobreviver apenas com ele mesmo. E a maior prova disso é que seu momento final nos entrega tanto o sentimento de missão cumprida quanto a excitação de uma nova aventura na próxima esquina.

Wanderley Caloni, 2015-05-17. As Aventuras de Tintim. The Adventures of Tintin (USA, 2011). Dirigido por Steven Spielberg. Escrito por Steven Moffat, Edgar Wright, Joe Cornish, Hergé. Com Jamie Bell, Andy Serkis, Daniel Craig, Nick Frost, Simon Pegg, Daniel Mays, Gad Elmaleh, Toby Jones, Joe Starr. IMDB.