As Crônicas de Spiderwick

Essa é basicamente uma versão infanto-juvenil de A Morte do Demônio: alguém acha um livro amaldiçoado em uma casa abandonada e que ninguém deveria habitar e agora está impossibilitado de sair do lugar, pois parte da maldição prega que tanto o livro quanto seus leitores devem ser eliminados. A parte infanto-juvenil da história é que ela deve envolver ogros, globlins, trolls, ter uma moral da história — que se for Disney/Spielberg, vai envolver uma relação pai e filho… bingo! — e, o essencial: ninguém deve se machucar no processo, mas todos devem se divertir como em um parque de diversões temático.

A diferença desse tipo de filme e Os Goonies é que os personagens do clássico dos anos 80 eram cativantes, espertos e tinham o espírito da aventura. Os personagens de Crônicas de Spiderwick são espectadores passivos de um pequeno deslize que o pequeno Jared (Freddie Highmore, que está encantador no remake de A Fantástica Fábrica de Chocolates) toma quando, mesmo advertido com um bilhete de aviso, ainda assim abre o maldito livro. O resto é um filme de uma hora e meia sobre as consequências desse único ato.

Mas, como já disse, não é um filme ruim, mas gostaria que fosse. Ficar no meio do caminho entre o bom e o ruim é o caminho mais fácil para um filme ser esquecido, mas não a sensação de ter duas horas de sua vida desperdiçada.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2014-04-17 imdb