Dixit (Jogo)

Wanderley Caloni, May 20, 2019

Uma festa com karaokê e jogos de mesa. O que pode surgir de interessante em um cenário millenial como esse? Um jogo de cartas que em sua simplicidade revela um intrincado sistema que soluciona todos os problemas que outros jogos de mesa costumam ter.

Dixit é um jogo de cartas ilustradas que os competidores ficam em mãos e usam em toda rodada. Em cada rodada um deles vira o “narrador” e usa uma frase para descrever a carta que escolheu. Todos os outros competidores escolhem suas cartas que melhor se encaixam na descrição do narrador e sem saber qual a carta de cada um o objetivo é ter sua carta escolhida pelos outros.

Porém – e aí está o ponto-chave do jogo – se a carta do narrador não for escolhida por ninguém ou for escolhida por todos ele não ganha pontos. O objetivo do jogo é incentivar nosso lado subjetivo e fazer com que apenas algumas pessoas te sigam nesse jogo de metáforas, enquanto outras não. E do ponto de vista dos outros jogadores o objetivo é que através de uma descrição que você não tem controle você escolha a melhor carta que se encaixe.

A beleza do jogo está que as cartas em si podem significar muitas poucas palavras inequívocas, mas o narrador poderia detalhar completamente sua carta e perderia, ou poderia usar um termo muito vago e também perderia. O jogo incentiva não uma concordância total entre os jogadores, mas festeja a multiplicidade de visões.

E além disso resolve uma série de problemas que jogos costumam ter.

Resolve a universalidade, já que não há qualquer relação nem verbal nem cultural com as cartas em si, apenas com seus jogadores, e o sistema de votos usa simples números, outro traço universal. E ao mesmo tempo, se tratar-se de um grupo culturalmente diverso, explora as diferentes formas de cada pessoa enxergar os significados que as cartas podem ter. O jogo se torna até mais interessante quanto mais diverso for o grupo.

Por depender unicamente da visão dos participantes do jogo ele também resolve a questão da idade (biológica ou mental), pois grupos de idades diferentes terão uma dinâmica diferente. Crianças e jovens usarão descrições das cartas de uma maneira completamente diferente dos mais velhos. Seja um grupo unicamente de velhos ou de jovens isso deve funcionar bem. Porém, mais uma vez, na diversidade de idades é que o jogo deve brilhar mais. Onde jogos geralmente perdem a graça quando são jogados por pessoas com idades e capacidades diferentes aqui o desafio é justamente o diálogo entre os dois mundos.

Conforme jogos vão sendo jogados pelas mesmas pessoas cria-se o vício e logo torna-se manjado ganhar. Porém, em Dixit isso não ocorre, pois aquelas pessoas vão evoluindo a compreensão uns dos outros juntas. Então o mesmo conjunto de cartas vai servindo para diferentes formas de enxergá-las dos mesmos jogadores em níveis diferentes de experiência com o jogo. Com isso Dixit resolve o problema da novidade, enquanto que ao mesmo tempo permite a vinda de novas cartas, que não precisam se relacionar de uma maneira especial (apenas na mente dos participantes).

Por fim, por incentivar a participação em seu núcleo, permitindo que todos ganhem pontos e interajam de maneira ativa em cada rodada, Dixit resolve também o problema da espera, em que muitos jogos os participantes ficam aflitos esperando a sua vez de jogar, que geralmente é o momento mais empolgante. Não nesse jogo. Todo momento é empolgante sempre, o que torna este o estado da arte do entretenimento de mesa. Simples, universal, participativo e criativo.

Dixit (Jogo) ● Dixit é um jogo de cartas criado por Jean-Louis Roubira, ilustrado por Marie Cardouat e publicado por Libellud. ● Nota: 4/5. Categoria: blog. Publicado em 2019-05-20. Texto escrito por Wanderley Caloni.


Quer comentar?