Bob Esponja O Filme

Bobinho, mas divertido. Possui lição de moral e elementos já manjados da própria série. Hoje assistindo pela quarta (quinta?) vez vejo que no fundo é um episódio expandido, e não possui pretensões muito… cinematográficas. Mas, dizer o quê de uma esponja quadrada que fala e seu amigo estrela-do-mar de bermuda? Ainda acho mais divertido que os Rugrats.

Bob Esponja é um fenômeno temporário que possui elementos mistos que acabam agradando tanto crianças quando adultos. Para as crianças, uma dublagem divertida e uma comédia física que deixa seus personagens serem alterados quase como massinhas de modelar. Para os adultos, a subversão do gênero com a inserção de elementos estranhos à construção da cena em desenhos. Em determinado momento de “Bob Esponja — O Filme”, por exemplo, quando Bob Esponja realiza uma performance admirável de cantor de rock com efeitos especiais, como ser erguido até o teto e se vestir como um mago, após o final do show o vemos pendurado por cordas e sem as luzes que antes o iluminavam. E isso é engraçado por infringir a própria natureza da confecção das animações.

No entanto, é preciso dizer, alguns truques do longa metragem já estão passados, e são colocados simplesmente por preguiça de criar gags criativas. Exemplos são a batidíssima cena do elevador e sua música relaxante no meio de uma cena de ação, ou o eco de uma ravina que se revela o próprio Patrick Estrela repetindo a mesma palavra várias vezes.

Da mesma forma, o núcleo da história, o plano de Plâncton para obter a receita secreta do Hambúrguer de Siri e conquistar a Fenda do Biquíni é um recurso extremamente batido da série e que rende menos situações engraçadas e originais do que as ideias mais criativas envolvendo a amizade entre Bob Esponja e Patrick ou a inimizade com Lula Molusco.

Mesmo assim, a “curva dramática” de Calça Quadrada, impedido de ser o gerente da filial do Siri Cascudo por ser um mero garoto, é uma surpresa agradável na aventura dos dois amigos, pois enfoca ao mesmo tempo uma aventura adolescente e a incongruência que isso gera ao percebermos que, no fundo, os dois não passam de crianças se divertindo com as situações.

Com uma conclusão que diverte pelo inusitado — voltando a fazer humor da forma que Bob Esponja faz melhor — “O Filme” ganha pontos por colocar uma corja de piratas indo ao cinema assistir ao filme e por mesclar ainda mundo real e desenho.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2012-08-01 imdb