Cake: Uma Razão para Viver

Cake já começa mal no Brasil com seu péssimo subtítulo: Uma Razão para Viver. Até quando as distribuidoras vão apelar para o espectador mais insosso para vender títulos? Até quando a métrica do Cinema no Brasil serão as falas da Sessão da Tarde, ou os diálogos de atores globais?

Bom, nesse caso não importa. O filme em si é digno de uma Sessão da Tarde, e a presença da caricatura de Jenifer Aniston tentando fingir profundidade dramática mais entedia do que diverte. Aliás, Aniston é sinônimo de diversão há tanto tempo, protagonizando comédias, que fica até difícil se desvencilhar daquela mulher quarentona com cara de poucos amigos e uma dor constante em sua vida física e espiritual. No fundo, até gostaríamos que ela se desse bem com uma personagem mais dramática e, quiçá, mais complexa. Infelizmente, o roteiro de Patrick Tobin e a direção de Daniel Barnz entram na frente desses planos, entregando uma experiência medíocre que se repete à exaustão.

Não que o filme seja ruim: é que ele simplesmente nunca entrega nada acima da média, embora tente a todo o momento soar diferente. Não é. É episódico, oportunista. A sequência de Tijuana será lembrada como a pior das vergonhas alheias. Nesse momento até nos lembramos dos filmes de Adam Sandler (como se Sandler fosse parâmetro para filmes, ou pior, para dramas). Talvez porque Sandler também gosta de “aproximar” esse convívio entre mexicanos e americanos da pior maneira possível.

Já sobre a história, ela é melancólica como a protagonista, que parece apenas devanear em torno de sua vida e as mudanças que ela mesmo gerou após a morte de seu filho em um acidente. Sem coragem o suficiente para se matar, ela tenta entender o impacto de uma atitude dessas na vida de outra família. Porém, um dos erros do filme é supor que ela ainda tem família.

No final, até uma personagem extra aparece para fazer um bolo. Uma bagunça completa, um serviço preguiçoso, mas um bolo até que bonito. E o bolo deve ser uma parte importante nessa história, pois faz até parte do título.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2015-04-22 imdb