Carrie, a Estranha

Sep 26, 2014

Imagens

Talvez esse remake do clássico de Brian de Palma seja até eficiente na maior parte do tempo, ou não sei se pegando carona na memória afetiva do original ele consegue se sair melhor do que aparenta, até por discutir a história de Carrie quase como uma análise do bullying escolar dos tempos atuais e da diferença de visões religiosas dos mais jovens. Porém, uma direção grosseira e um roteiro equivocado conseguem estragar uma revisita até que curiosa.

Carrie, revivida por Chloë Grace Moretz – provavelmente escolhida depois de seu ótimo papel em Deixe-me Entrar, ou outro remake de terror – é uma menina socialmente acuada, fruto da educação rígida da religiosa mãe (Julianne Moore, à altura do papel de Piper Laurie). Um episódio envolvendo sua primeira menstruação no colégio da escola acaba fazendo-a ganhar um desafeto que tenta se vingar durante o baile da formatura. Quase nada muda na história (até onde me lembro), exceto uma inserção ridícula de duas irmãs gêmeas que aparecem mais do que deviam em situações que fazem lembrar os gêneros de “2012”.

E por falar em ridículo, a tão famosa sequência do baile converte o gênero da história para um filme B da pior espécie. Iniciando com uma cena patética repetida três vezes em câmera lenta de ângulos distintos, a noção que a diretora Kimberly Peirce (Meninos Não Choram) tem da personagem e de suas motivações é no mínimo tão bizarra quanto as irmãs gêmeas que insiste em filmar. Carrie acaba virando uma caricatura para o espectador, e caricaturas não emitem empatia. Ela se torna um objeto de fetiche de um público que anseia por efeitos digitais em demasia.

E se o susto final é algo que os incessantes remakes tentam reproduzir falhando miseravelmente, aqui pode-se dizer que Carrie de 2013 segue à risca a cartilha de remakes de clássicos, cuja última instrução, que deveria ser a primeira, diz claramente: nunca faça remake de clássicos.

Wanderley Caloni, 2014-09-26. Carrie, a Estranha. Carrie (USA, 2013). Dirigido por Kimberly Peirce. Escrito por Lawrence D. Cohen, Roberto Aguirre-Sacasa, Stephen King. Com Julianne Moore, Chloë Grace Moretz, Gabriella Wilde, Portia Doubleday, Zoë Belkin, Samantha Weinstein, Karissa Strain, Katie Strain, Ansel Elgort. IMDB.