Category: movies

Aladdin (2019)

May 22, 2019 1 min.

E meio às pequenas mudanças deste remake, se há uma que valeu a pena ela repousa certamente na postura de Princesa Jasmine, interpretada com energia e presença de palco por Naomi Scott como uma versão modernizada de uma mulher que no original já sentia a necessidade de ser dona de seu próprio destino. Aqui ela precisa ser dona do destino de seu povo, também. É a mistura entre a interpretação de Scott e o momento “Frozen” criado como um adendo ao original pela Disney – mas que faz todo sentido na história – que torna a figura de Jasmine como a protagonista por trás das sombras de uma história que já não faz mais jus ao seu tempo, mas que graças à atualização muito bem-vinda dos roteiristas (Ritchie e John August, acostumado a contos como A Noiva Cadáver e Frankenweenie) nos dá uma nova visão sobre o mundo que vivemos, onde as mulheres precisam conquistar seu lugar sem ajuda de príncipes, sultões ou até mesmo tigres de bengala.

Aladdin

May 20, 2019 3 min.

Todos sabem a história. Está nas Mil e Uma Noites (apesar de não fazer parte do original arábico, leia descrição no final do texto). Jovem humilde encontra lâmpada e com isso tem o poder de se casar com a princesa. Os detalhes foram compilados em um projeto que se arrastou por anos durante o período do renascimento dos estúdios Disney, nos anos 90, quando depois de longo hiato os lançamentos de A Bela e A Fera, O Rei Leão, Aladdin entre outros catapultou novamente a produtora nos holofotes de público e crítica.

Barcelona

May 18, 2019 3 min.

Barcelona é um filme que se insere em um momento político tenso na cidade-título e extrai momentos brilhantes acima da média em seu texto e em suas gags visuais. Ele mostra uma dupla de primos que moram juntos saindo e se envolvendo com lindas garotas espanholas, mas seu sub-texto é tanto político quanto um leve e agradável estudo de personagem. É um filme engraçado, mas para se rir com a mente, não com o estômago.

O Demônio das Onze Horas

May 17, 2019 2 min.

Godard coloca em prática seu objetivo de destruir a linguagem cinematográfica porque é coisa de burguês, mas seu jeito mimado e francês de criticar o establishment vira um tiro pela culatra em filme chato que apenas enfatiza que crianças como ele devem ser mantidas longe da câmera. A história é um homem que se casou com uma italiana rica (mas não liga pra ela) e decide fugir com a amante em uma versão pastelão dos filmes de ação dos anos 60.

Tolkien

May 14, 2019 1 min.

Vamos ser bonzinhos com os roteiristas deste filme, habituados às temáticas gay e famílias disfuncionais, e dizer que se “esqueceram” que o J.R.R. Tolkien histórico era fervoroso cristão e possuía posicionamento político tendendo ao anarquismo? Eu acho que não. Claro que para os roteiristas David Gleeson e Stephen Beresford não é tarefa fácil criar o seu protagonista neste filme, que foi um ser humano, além de intelectualmente admirável, possuidor de uma retidão moral que desafia a podridão do status quo atual.

Bicho de Sete Cabeças

May 11, 2019 3 min.

Para comemorar o dia anti-maniconial (que nominho desgraçado) nada como assistir Bicho de Sete Cabeças, que é baseado em um caso real de um jovem internado em um sanatório porque dava uns tapinhas na pantera. O filme tem cenas de sobra demonstrando o caos da sociedade brasileira conservadora da época. Othon Bastos faz o papel do pai gente direita que quer colocar o filho no eixo. O filho, interpretado por Rodrigo Santoro, é um vida boa, jovenzinho que está aí só curtindo com os amigos.

Entre Vinho e Vinagre

May 11, 2019 4 min.

Entre Vinho e Vinagre, ou Wine Country, é uma versão alternativa de Sideways se ele fosse sobre mulheres de meia-idade e seus roteiristas soubesse de antemão que menosprezar uvas pode chacoalhar o mercado de vinhos. Você sabia que por causa que no filme estrelado por Paul Giamatti seu personagem destrata o Merlot por ser “fácil demais de beber”, elogia as qualidades do Pinot Noir e os preços dessas uvas na vida real despencam e disparam?

Minhas Famílias

May 10, 2019 2 min.

Minhas Famílias é uma pequeníssima janela que o documentarista Hao Wu abre a respeito de sua vida homossexual e a convivência com os pais e com a famíla em geral, chineses tradicionalistas. O lado ruim dele é que não há conteúdo suficiente para valer a pena um longa-metragem, ficando ele no meio do caminhho com seus 39 minutos, e o lado bom é que ele consegue ser sucinto a respeito e evita a todo custo criar um conflito que não existe.

Compra Me Um Revólver

May 10, 2019 1 min.

Em meio ao deserto e suas cores opressivas as camadas interpretativas da jovem Huck são o momento que o filme cresce (assim como sua excelente seleção de músicas, que dá o tom ao estranhamento daquele universo). Um trompete cospe uma fumaça roxa que inebria o ar. Os mortos espalhados pelo chão viram desenhos com detalhes em vermelho. Os pássaros em torno do rio conferem o ar de redenção. Há poesia nesses momentos, e é uma pena que apenas pontualmente ela seja usada.

A Espiã Vermelha

May 8, 2019 1 min.

Política da Segunda Guerra com espionagem real, ciência por trás da bomba atômica, romance na época que mulheres não tinham o poder da escolha. Eu até gostaria de ter visto um filme sobre esses assuntos que giram em torno da pseudo-história figura de Joan Stanley (na vida real Melita Norwood), se infelizmente essa não fosse, como ela mesmo se coloca, “uma sombra em meio aos homens”. Esse filme tristemente parece a colocar na mesma situação do passado, como uma sombra, não fazendo jus à possível homenagem que poderia ter sido feito pelas suas, se não nobres, bem-intencionadas ações da época.