Circle

Circle é um trabalho minimalista que resume o sistema de votos através de uma alegoria simplista, mas eficiente: alienígenas adbuzem 50 pessoas e as colocam dispostas em um círculo. Elas não podem sair de seus lugares nem tocar as pessoas ao lado, pela pena de serem mortas por um raio que sai do meio do círculo. Ah, mais um detalhe: de tempos em tempos uma pessoa é morta, escolhida através de todos.

As pessoas possuem etnias e origem diversificadas demais, e quase ninguém se conhece. Todas falam inglês por serem abduzidas no mesmo local, mas não deixa de ser extremamente conveniente sua disposição no círculo e, pior ainda, a aparente calma com que discutem como sair dessa situação com vida.

Ainda assim, dadas todas essas ressalvas, a experiência de assistir por um pouco menos de uma hora e meia as discussões e argumentações dessas pessoas a respeito da morte eminente e quais as pessoas que deveriam ser sacrificadas passa bem rápido. Considerando ainda que toda a ação se passa em apenas um cenário com fundo preto, e no fundo os únicos “objetos” em cena são as próprias pessoas, além de todos os atores serem completamente desconhecidos(é uma produção de baixíssimo orçamento, mas ainda assim, uma sábia decisão não colocar ninguém conhecido no elenco).

Usando todo esse esquema para apresentar uma série de diálogos completamente lógicos, e ainda assim carregados de preconceitos, apelações, manipulações e alianças temporárias, Circle se mantém ótimo o tempo todo graças justamente a isso. Esqueçamos que todas aquelas pessoas juntas e dispostas nesse conjunto mínimo de regras não faz sentido, e foquemos no que elas fariam para sair desse lugar. Representantes de uma sociedade com diferentes pontos de vistas, podemos até torcer para uma ou outra pessoa, mas o fato de lutarem pela sua sobrevivência sacrificando outros acaba sabotando qualquer empatia que tenhamos por qualquer uma delas. Mesmo as mais inocentes, usadas não mais do que mecanismo de argumentação.

Falhando justamente em sua abordagem simplória da realidade, Circle é um passatempo divertido pela análise fria do pensamento humano e pela nossa vontade de sempre atravessar os outros pelo auto-bem-estar. Quando não há nada para barganhar, como você convenceria alguém de é melhor ela morrer e não você?

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2015-10-24 imdb