Como Sobreviver a Um Ataque Zumbi

Mais um filme sobre zumbis que une o velho clichê da impopularidade de nerds – nesse caso, escoteiros – com uma daquelas aventuras juvenis que libera poucos peitinhos para muito sangue e tripas. Não há muito interesse no desenrolar dos personagens, nem se eles vão sobreviver (dica: vão) e muito menos o que começou tudo isso. Zumbis, jovens, e é isso.

Há até uma festa secreta dos populares na escola. Há até mesmo a vizinha velha e chata. Há até mesmo uma breve sequência com gatos assassinos. Há algumas brincadeiras estilo homenagem, a velha sequência de planos separados por uma janela à prova de som, piadas com sexo, etc.

O diretor, Christopher Landon, é roteirista dos filmes “Atividade Paranormal”, e aqui desempenha um trabalho divertido quando ele consegue empregar algum ritmo. Infelizmente, na maioria das vezes não há ritmo nenhum, apenas diálogos e mais diálogos seguido de uma piada ou outra. Muitas vezes nem parece que estamos em um filme tão agitado. Outras vezes gostaríamos que o filme não fosse tão agitado.

Com pelo menos uma sequência memorável que envolve um velho, seu órgão sexual, uma janela e um pula-pula, Como Sobreviver a Um Ataque Zumbi em seu todo vira mais um desses filmes que esquecemos assim que ele termina, pois tudo não passou de meia-dúzia de fases de um vídeogame. O bizarro prazer da geração atual em assistir atores realizando um jogo em live-action com obstáculos e final já pré-definidos.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2015-12-09 imdb