Crepúsculo

Jun 10, 2012

Imagens

Existe uma linha tênue entre Crepúsculo e dois tipos de filmes: no primeiro tipo existem as paródias, onde tudo que aparece na tela soa irreal e quase que completamente absurdo, quase sempre fazendo referência a filmes mais sérios; nessa categoria a saga dos vampiros não se sai tão mal, sendo o único grande problema ele insistir em levar a sério um romance que consegue ser, no melhor dos casos, risível e superficial (e eu já citei absurdo?). No segundo tipo de filme existem os romances e dramas sérios, que conseguem extrair um pouco de empatia do público, por pior que seja a história. Infelizmente, se for esse o caso, Crepúsculo consegue ser o anti-exemplo completo, pois não consegue extrair a mínima reação a partir do improvável casal formado pela antipática Bella Swan e o seu stalker psicopata vampiresco Edward Cullen.

Senão, vejamos: pelo fato de seu padrasto viajar muito, Isabella Swan (Kristen Stewart, O Quarto do Pânico) precisa ir morar com o pai afim de cursar o colégio normalmente. Ele é um policial de uma cidadezinha de Washington com seus 1230 habitantes (a maioria formada por jovens, pois o colégio da cidade aparentemente vive lotado). Ela, não acostumada a se relacionar com pessoas, faz em seu primeiro dia de escola apenas 2, 3… 4 amigos. Eles conversam sobre os estranhos Cullen, uma família cujos jovens frequentam esporadicamente o mesmo colégio (menos em dias de sol), e normalmente maquiam suas faces de branco, ou possuem uma característica genética rara que deixa seus rostos embranquecidos, menos seus pescoços. Aliás, há dias que nem os rostos ficam tão brancos assim.

Bom, vamos esquecer esse negócio da maquiagem por enquanto.

O “mais estranho” dos Cullen (por não ter uma namorada) é o tal do Edward Cullen (Robert Pattinson, Harry Potter e o Cálice de Fogo), que aparentemente não consegue ficar longe da menina, aparecendo sempre repentinamente ao seu lado para dizê-la para ficar longe dele (seria mais fácil se ele facilitasse…).

Porém, o problema logo é explicado: Cullen se apaixonou por Bella. Aparentemente, desde o primeiro momento que a viu. Coincidência dos filmes, o sentimento de Bella é recíproco. Não só isso: é mais forte. Depois de descobrir que Cullen é na verdade um vampiro (nada como uma pesquisa no Google) Bella se recusa a deixar de ver o rapaz (na verdade, ele é que nunca para de revê-la). Aparentemente, a teimosia de ambos é o que os torna inseparáveis e fortes para suportar tudo o que de ruim que essa relação acarreta, que é… bom, não fica muito claro o que pode acontecer, mas parece que no pior dos casos ele pode mordê-la a torná-la imortal como ele, o que faria com que vivessem juntos para sempre. Porém, não é isso que Edward deseja. Na verdade, pensei que fosse isso, afinal de contas ele não consegue viver sem ela. Ah, já sei: não é o que ele acha certo para Bella, pois afinal de contas ela tem uma vida inteira para ser vivida. Porém, a garota não o larga de jeito nenhum. Bom, na verdade, como já disse, ele é que insiste em estar sempre por perto.

Rapazinho confuso, esse.

O fato é que os dois são um poço de contradição. Talvez isso explique, no caso de Edward, o porquê do seu vampiro ser totalmente diferente do que a literatura e os filmes normalmente dizem a respeito dessa criatura. Talvez no fundo esses escritores e diretores sejam muito burros, e não tenham entendido a questão do jeito certo, que é explicado aqui, baseado em um livro dos anos 2000.

Bom, confuso do jeito que é, dificilmente a história poderia ficar menos dispersa. Porém, não contavam com grupos distintos de vampiros que costumam sugar o sangue humano, diferente dos Cullen, que aprenderam a se alimentar apenas do sangue de animais (se consideram “vegetarianos” à moda deles). Esses grupos são rivais por um motivo qualquer, da mesma forma com que são os vampiros e os lobos, que são citados apenas au passant.

Pois é, fascinante, não? Não posso perder o resto dessa saga e entender finalmente o que deu na cabeça de Bella para se meter nessa história. Se bem que já imagino: uma garota que mexe os lábios como um tique nervoso e que parece achar isso sensual de fato não mereceria um destino melhor do que se apaixonar por um psicopata.

Wanderley Caloni, 2012-06-10. Crepúsculo. Twilight (USA, 2008). Dirigido por Catherine Hardwicke. Escrito por Melissa Rosenberg, Stephenie Meyer. Com Kristen Stewart, Sarah Clarke, Matt Bushell, Billy Burke, Gil Birmingham, Taylor Lautner, Gregory Tyree Boyce, Justin Chon, Michael Welch. IMDB.