De Coração Aberto

Javier (Édgar Ramírez) é o cirurgião do hospital onde Mila (Juliette Binoche) trabalha. São marido e mulher. Ou melhor dizendo, mulher e marido. A impulsividade de Javier e sua dependência da mulher vão aos poucos se desenvolvendo pela diretora (e atriz) Marion Laine. Seu alcoolismo o afasta das operações, o que é o estopim para que sua impulsividade tome o controle não apenas de sua vida, mas de Mila. As coisas pioram quando descobrimos que ela está grávida. As decisões de Mila são sempre em função de Javier, que é uma bomba-relógio.

O argumento para o aborto de Mila é evitar “algo sem controle” na vida dos dois. A princípio podemos supor que ela fala sobre o bebê, mas logo fica claro sua maturidade frente ao comportamento quase primata do marido. Não precisamos de muitos diálogos expositivos. Marion Laine coloca Javier entre chimpanzés, e esse parece ser o que mais deseja.

Os detalhes técnicos impressionam pela sutileza, como o som, que nos guia a todo o momento sem tornar-se demasiadamente invasivo. No entanto, ele pode estar presente tanto nos momentos mais sutis (como uma batida no capacete de um personagem) quanto nos mais urgentes (o som da água no rio). Já a fotografia é exibicionista, mas não revela seu significado, permanecendo como uma imagem indelével na mente. Brinca com o vermelho, às vezes nas roupas de Mila, outras na de Javier. A tragédia ronda a vida dos dois. Aos poucos percebemos que não importa o que seja feito tende a dar errado, ou está predestinado a dar. Em uma montagem primorosa somos levados de um exercício de ternura a um ato de violência sem controle, quando Javier e Mila exibem seus sentimentos de forma visual a respeito do seu filho.

O terceiro ato termina como deve ser, ou como algo que esperávamos a qualquer momento. Com uma câmera que flutua entre transições viscerais entre um tranquilo sonho no rio e uma sala de cirurgia somos levados a juntar todas as peças elegantemente espalhadas pela história. Não precisamos que nos expliquem qual a grande mensagem por trás de tudo isso. No fundo, é desejável que cada um tire suas próprias conclusões.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2013-03-15 imdb