Demi-soeur

Essa comédia francesa com certeza segue o molde do estereótipo… “comédia francesa”. Fala sobre amor em família, personagens cativantes e transformações de caráter.

Porém, se engana quem acha que conhece o enredo logo que este inicia. Revelando surpresas curiosas a cada nova fase de sua história, a chegada da deficiente mental Nénette (Josiane Balasko) à vida de seu até então desconhecido irmão Paul (Michel Blanc) é irregular e fascinante de se acompanhar, pois pequenos detalhes serão usados a seu favor (como o fato de Nénette ter uma tartaruga de estimação, e Paul ter o hobby de colecionar animais marinhos).

Ainda assim, o roteiro algumas vezes preguiçoso de Josiane Balasko, que o adaptou de Franck Le Joseph e tomou as rédeas da direção, entrega soluções fáceis para criar um caminho quase indolor em direção à redenção de Paul. Tudo bem que Nénette tenha conhecido uma banda de heavy metal e açucarado o café de Paul com ecstasy, e isso seja obviamente o fio condutor de um novo relacionamento entre os dois que começou errado. Mas não está tudo bem quando o terceiro ato parte para decisões extremas para rapidamente resolver a questão.

Com pelo menos uma interpretação digna de ser assistida de Josiane Balasko, pela possibilidade de enxergar em um deficiente mental uma figura não tão realista, mas carinhosa e não totalmente inútil como muitas pessoas acreditam ser, Demi-soeur é mais uma crítica à ambição mesquinha e uma ode à vida simples focada nos relacionamentos.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2016-03-13. Demi-soeur. Demi-soeur (France, 2013). Dirigido por Josiane Balasko. Escrito por Josiane Balasko, Franck Le Joseph. Com Josiane Balasko, Michel Blanc, Brigitte Roüan, Françoise Lépine, George Aguilar, Christine Murillo, Grégoire Baujat, Jean-Yves Chatelais, Stéphan Wojtowicz. imdb