Diário de um Jovem Médico

Primeira Temporada

É epoca da revolução! Todos querem lutar, mas nem todos podem. Em um hospital russo perdido no meio da neve um jovem recém-formado médico, conhecido como “Doutor” (Daniel Radcliffe), descobre que tudo que aprendeu nos livros não serve de muita coisa quando a vida e a morte diariamente estão em suas mãos. O mesmo Doutor, décadas depois (Jon Hamm), está tendo problemas com a justiça por conta do seu vício em morfina. Ciente de que estragou sua vida pela droga ele convive com seu eu do passado e tenta convencê-lo a não se viciar, além de ajudá-lo a lidar com os problemas que ele já havia lidado quando era mais jovem, pois era ele mesmo (?!)

Essa loucura narrativa, embora seja de fato uma loucura, é o ponto forte de “A Young Doctor’s Notebook”, que tem como protagonista o ator da saga Harry Potter e possui poucos e curtos episódios, mas suficientes para definir uma dinâmica tão divertida quanto dramática. A forma com que os “dois” protagonistas se relacionam é a chave para compreender a loucura por trás desse hospital, que parece mais uma metáfora da vida.

Segunda Temporada

A segunda temporada dessa série rápida e bem-humorada finaliza a história de Mikhail Bulgakov, em seu trabalho de contos auto-biográficos quando este era um médico no interior da Rússia. A maneira criativa em que ele posiciona o jovem doutor que era e o velho doutor que se tornou (mentira, pois virou escritor) no mesmo ambiente, dialogando sobre suas decisões do passado como velho e sobre suas decisões do presente ainda jovem torna este um monólogo muito mais rico e transcedental do que seria se fosse apenas o velho clichê de memórias.

O mais interesante, contudo, é perceber como a série em sua segunda metade se torna dramática e reflexiva, e como seus personagens, embora cômicos, possuem um lado negro que tentam a todo momento reverter. Sem sucesso. O vício em morfina representa tudo que nós nos afeiçoamos, exceto o que seria moralmente correto (de acordo com o autor).

Dessa vez Daniel Radcliffe, o ator da série Harry Potter no cinema, está ligeiramente deslocado do seu timing cômico, que é espetacular na primeira metade. Agora é o velho doutor, interpretado por Jon Hamm (Mad Men), que toma as rédeas do seu passado e deseja cavocá-lo para mais uma vez se afundar em culpa.

Toda a história é muito russa, e peca pelo baixo orçamento, se tornando ligeiramente teatral demais para uma série televisiva. Ainda assim, sucinta no máximo, é uma diversão inocente que irá fazer pensar os mais atentos.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2014-12-01 imdb