Diretores da 39a. Mostra de Cinema em São Paulo

Oct 12, 2015

Mostra chegando, e começa a ser liberadas as listas de diretores, filmes e, em breve (na última hora) a programação. Segue a lista dos diretores que dirigiram pelo menos algum filme com texto no Cine Tênis Verde:

DANIS TANOVIC

Nasceu em Zenica, Bósnia-Herzegovina, em 1969. Foi criado em Sarajevo, onde estudou direção. Seu primeiro longa-metragem, Terra de Ninguém (2001), ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro e o Prêmio do Público de melhor longa de ficção na 25ª Mostra. Também dirigiu o segmento Bósnia-Herzegovina do filme 11 de Setembro (2002, 26ª Mostra) e os longas O Inferno (2005, 29ª Mostra), Triage (2009), Cirkus Columbia (2010, 34ª Mostra) e Um Episódio na Vida de um Catador de Ferro-Velho (2013).

NOAH BAUMBACH

Nasceu em Nova York em 1969. Ator, roteirista e diretor, escreveu e dirigiu filmes como Tempo de Decisão (1995), A Lula e a Baleia (2005, 29ª Mostra), Margot e o Casamento (2007), O Solteirão (2010), Frances Ha (2012) e Enquanto Somos Jovens (2014).

MANOEL DE OLIVEIRA

Nasceu no Porto, em Portugal, em 1908. Iniciou a carreira como atleta e piloto de corridas. Dirigiu seu primeiro curta-metragem mudo, Douro, Faina Fluvial, em 1931. Abandonou o cinema nos anos 1940 para tornar-se vinicultor. Retornou na década de 1970, com filmes autorais que fizeram dele um dos diretores mais singulares da história. Teve todos os seus filmes exibidos na Mostra, desde Amor de Perdição (1978, 3ª Mostra). Ganhou retrospectiva integral de sua obra na 15ª Mostra e na 29ª Mostra, respectivamente em 1991 e 2005. Recebeu o Prêmio Especial da Mostra por Os Canibais (1988, 12ª Mostra); o Prêmio da Crítica por Vale Abraão (1993, 17ª Mostra) e Vou para Casa (2001, 25ª Mostra); e o Prêmio Humanidade pelo conjunto da obra em 2004, na 28ª Mostra. Dirigiu ainda títulos como Singularidades de uma Rapariga Loura (2009, 33ª Mostra), O Estranho Caso de Angélica (2010, 34ª Mostra), o segmento Do Visível ao Invisível, do filme Mundo Invisível, produzido pela Mostra (2011, 35ª Mostra), O Gebo e a Sombra (2012, 36ª Mostra) e O Velho do Restelo (2014, 38ª Mostra). Morreu em 2015 aos 106 anos.

ALFRED HITCHCOCK

Nasceu em Leytonstone, no subúrbio de Londres, em 1899. No início dos anos 20, começou sua carreira desenhando storyboards. Depois de atuar como assistente de direção e roteirista, estreou como diretor com The Pleasure Garden (1925), seguido por The Mountain Eagle (1926). Um dos mais importantes diretores da história do cinema, realizou filmes como 39 Degraus (1935); Rebecca, a Mulher Inesquecível (1940), vencedor do Oscar de melhor filme; Festim Diabólico (1948); Pacto Sinistro (1951); Janela Indiscreta (1954, 24ª Mostra); O Terceiro Tiro (1955); O Homem que Sabia Demais (1956); Um Corpo que Cai (1958); Psicose (1960) e Os Pássaros (1963). Morreu em Los Angeles em 1980 aos 80 anos.

ELIA KAZAN

Nasceu na Turquia em 1909 e foi para os EUA aos quatro anos. Trabalhou como ator e diretor de teatro e, em 1947, foi um dos fundadores do Actors Studio, escola que revolucionou técnicas de atuação. Em 1945 dirigiu seu primeiro longa, Laços Humanos (35ª Mostra), vencedor de um Oscar. A 35ª Mostra fez uma retrospectiva do período mais fértil de sua carreira, de 1945 a 1962, exibindo filmes como Uma Rua Chamada Pecado (1951), Vidas Amargas (1955) e Clamor do Sexo (1961). A mesma edição do festival exibiu Uma Carta para Elia (2010), de Martin Scorsese e Kent Jones, documentário sobre o cineasta. Morreu em Nova York em 2003 aos 94 anos.

DAVID LYNCH

Nasceu nos Estados Unidos em 1946. Estudou pintura e começou no cinema nos anos 1960, com curtas experimentais como The Alphabet (1968) e The Grandmother (1970). Seu primeiro longa-metragem foi Eraserhead. Durante a carreira recebeu três indicações ao Oscar de direção, por O Homem Elefante (1980), Veludo Azul (1986) e Cidade dos Sonhos (2001). Ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes com Coração Selvagem (1990, 14ª Mostra). Também dirigiu os longas Duna (1984), Estrada Perdida (1997), História Real (1999, 25ª Mostra) e Império dos Sonhos (2006, 31ª Mostra). Na década de 1990, criou a série Twin Peaks, que também deu origem ao longa Twin Peaks: Os Últimos Dias de Laura Palmer (1992, 16ª Mostra).

WIM WENDERS

Nasceu em Düsseldorf, na Alemanha, em 1945. Estudou na Escola de Cinema e Televisão de Munique. É um dos expoentes do Novo Cinema Alemão dos anos 1970. Dirigiu os longas O Amigo Americano (1977, 3ª Mostra); Hammett (1982, 8ª Mostra); O Estado das Coisas (1982, 8ª Mostra), vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza; Tokyo-Ga (1985, 10ª Mostra); e Paris, Texas (1984, 13ª Mostra), Palma de Ouro no Festival de Cannes. Asas do Desejo (1987) venceu o Prêmio do Público na 12ª Mostra e também foi exibido na 34ª Mostra. Realizou ainda Um Filme para Nick (1980, 15ª Mostra), Até o Fim do Mundo (1991, 16ª Mostra), Ode a Colônia (2000, 26ª Mostra), Terra de Fartura (2004, filme de abertura da 28ª Mostra) e Estrela Solitária (2005, 29ª Mostra). Veio a São Paulo em 2008 a convite da Mostra para apresentar Palermo Shooting e uma Carta Branca com filmes escolhidos por ele na 32ª Mostra. Em 2010, assinou o cartaz da 34ª Mostra e retornou à cidade para a abertura de uma exposição com suas fotos no Masp. Também dirigiu um dos segmentos do filme Mundo Invisível (2012), produzido pela Mostra. Também dirigiu seu primeiro trabalho em 3D com Pina.

HECTOR BABENCO

Nasceu em Buenos Aires em 1946 e naturalizou-se brasileiro em 1970. Dirigiu os filmes O Rei da Noite (1976); Lucio Flávio - O Passageiro da Agonia (1977), Prêmio do Público na 1ª Mostra; Pixote, a Lei do Mais Fraco (1981); O Beijo da Mulher Aranha (1985, 9ª Mostra), pelo qual foi indicado ao Oscar de melhor diretor; Ironweed (1987), indicado ao Oscar de melhor ator e melhor atriz; Brincando nos Campos do Senhor (1991); Coração Iluminado (1996); Carandiru (2003); O Passado (2007, filme de abertura da 31ª Mostra) e O Homem que Roubou um Pato, episódio do filme Falando com Deuses (2014, 38ª Mostra). Ganhou o Prêmio Leon Cakoff na 37ª Mostra, em reconhecimento à sua carreira.

FILIPE MATZEMBACHER

Nascidos em Porto Alegre, iniciaram a carreira como atores. Como cineastas, trabalham principalmente em obras sobre conflitos da juventude e sexualidade. Colaboraram nos curtas Preservativo (2011) e Um Diálogo de Ballet (2012) e no média-metragem Quarto Vazio (2013). Beira-Mar, o primeiro longa dirigido pela dupla, foi exibido no Festival de Berlim.

Wanderley Caloni, 2015-10-12. Diretores da 39a. Mostra de Cinema em São Paulo.