Eu Sou Mais Eu

| Wanderley Caloni

January 14, 2019

Desenvolvendo essa história de reconexão com o passado da velha maneira clichê em que o protagonista tenta achar a fórmula mágica para conseguir voltar tudo ao normal, “Eu Sou Mais Eu” é competente do começo ao fim em não deixar a peteca dramática cair em momento algum, mantendo o filme sempre na fina camada de realismo em torno da situação fantástica. Por exemplo, a mudança de look de Camilla no colégio não é absurda o suficiente para jogarmos nossa suspensão de descrença no lixo, nem a esquisitice de seu amigo Cabelo (Côrtes) é grande o suficiente para que não percebamos que sua ambição artística mais alternativa é o que o torna assim. Muitas vezes o filme lembra de leve o clássico jovem de Laís Bodanzky, As Melhores Coisas do Mundo, embora em um formato obviamente comercial.

Imagens e créditos no IMDB. O texto de estreia será publicado no CinemAqui.

Eu Sou Mais Eu (Brasil, 2019), escrito por L.G. Bayão e Angélica Lopes, dirigido por Pedro Amorim, com Kéfera Buchmann como Camilla, Giovanna Lancellotti como Drica, João Côrtes como Cabeça..