F is for Family

Juventude Transviada e filmes do John Hughes são exemplos de filmes icônicos que discutem essa distância incômoda e fascinante entre as gerações de pais e filhos. F for Family é a tentativa da Netflix de mostrar isso E a distância que nos separa dos costumes de uma era: os (hoje) controversos anos 70, onde fumar em qualquer lugar era tão lei quanto falar palavrões na frente das crianças (e depois se perguntar onde foi que eles aprenderam a falar assim). E se formos perceber momentos mais reflexivos da série, seus próprios personagens estão propensos a questionarem seus próprios hábitos, sem nem ter muitas dicas do por que disso.

Apesar de ter seis episódios de 20 e poucos minutos cada, a série perde ritmo lá pela metade, se tornando uma tentativa de plágio de outros trabalhos de animação mais jogadas ao absurdo e comédia pastelão. Os melhores momentos de “F” está justamente quando ela foge desse estereótipo televisivo, e seus personagens aprendem com seus erros.

Ganhando pontos pela excelente introdução e por trazer crianças envolvidas em brincadeiras que podem custar a vida (ou alguns ossos quebrados), e perdendo pontos por nunca mostrar violência familiar (desculpado porque o protagonista, para nós, tem que possuir uma moral levemente superior à de sua era), F for Family surpreende nos momentos e inova, entedia nos momentos que relaxa.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2016-01-30 imdb