Feliz! (piloto)

Happy! é uma feliz (que surpresa!) importada do serviço de streaming Netflix de um conteúdo da produtora Syfi, responsável pelos jovens clássicos Sharknado. Criado pela dupla Grant Morrison e Brian Taylor baseado nos quadrinhos criado por Morrison e ilustrado por Darick Robertson, esta aventura de ação policial distópica se passa em um universo onde há muitas brechas para o sobrenatural, mas ao mesmo tempo garante um realismo fantástico bem típico dos criadores de Adrenalina (1 e 2).

Esta aventura é de Nick Sax, um ex-investigador que está no momento em um ponto de sua história pessoal em que algo deu muito errado em sua vida (e é muito salutar da série sequer tocar nesse ponto em seu início). Sax está praticamente sendo movido pelas forças da natureza, e sobrevive por sua força, sorte e esperteza, embora não possamos estimar qual a porcentagem precisa desses elementos. O fantástico surge quando a pequena Hailey Hansen (Bryce Lorenzo) é raptada por um papai-noel do mal e seu amigo imaginário Happy (voz de Patton Oswalt) corre em busca de ajuda. E você já sabe qual ajuda ele encontra. Infelizmente essa ajuda está à beira da morte por ter se metido inadvertidamente com uma máfia italiana e com um segredo que envolve uma senha, demônios e a morte do caçula da família.

Ambientado em um universo real, mas contando com malucos (reais ou não) como Sax e Happy, esta série utiliza violência na medida certa para pontuar a brutalidade das ruas, o que torna a presença de Happy a mais inusitada possível. Se trata de uma mesclagem de elementos de gêneros diferentes, mas não chega a ser uma resultado engraçadinho. O que a série parece querer fazer é explorar o absurdo do lúdico em ambientes nada amistosos com personagens com histórias nada adequadas para crianças (portanto, fiquem avisados: existe o Happy, mas não existe Mercy).

Christopher Meloni também é uma força da natureza, e embora falte jeito ao ator, não falta postura e energia. Meloni, com suas caras e caretas, ensaia um personagem cartunesco e ao mesmo tempo durão. Grande sem ser bonachão, vemos sua força e vemos seu dilema se fechar em um arco extraordinário nos segundos finais, que não apenas mantém o clima de desesperança como este pequeno gancho de esperança lúdica e absurda demais para ser verdade. Há algo aí que pode ser interessante.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2018-05-16. Happy! (EUA, 2017). Criado por Grant Morrison e Brian Taylor. Escrito por Morrison e Taylor; dirigido por Taylor. Com Christopher Meloni, Ritchie Coster, Lili Mirojnick. IMDB.