Ferrugem

Aug 27, 2018

Imagens

O novo filme de Aly Muritiba (Para Minha Amada Morta, A Gente) tem a ambição de tratar de um tema sensível, mas ele o faz de maneira tão sutil que sua mensagem se perde na tradução. O mais frustrante é que se trata de uma produção rica em detalhes, mas os detalhes estão soltos demais, nos fazendo ter que interpretar o mistério que cerca seus dois protagonistas em duas partes corretamente dissonantes, mas incorretamente enigmáticas. A transição entre as partes não é chocante, mas rápida demais, o que causa o efeito de ignorarmos o impacto de uma cena em específico (você a reconhecerá quando ela acontecer). E por mais que algo seja chocante, é difícil analisar a introspecção de jovens quando faltam pistas. E por falta de pistas, a conclusão cai no automático: são aborrecentes como outros quaisquer.

Wanderley Caloni, 2018-08-27. Ferrugem (Brasil, 2018), escrito por Aly Muritiba e Jessica Candal, dirigido por Muritiba, com Giovanni de Lorenzi, Tifanny Dopke, Enrique Diaz. IMDB. Texto completo próximo ou após a estreia no CinemAqui (Source).