Forrest Gump: o Contador De Histórias

Jan 12, 2018

Imagens

Difícil não sonhar com este filme. Ele é a síntese da história americana unida com a síntese do seu próprio espírito. Forrest Gump é tudo o que um ser humano médio nunca conseguirá ser, ainda que seu QI seja muito superior ao de Forrest. O que falta em nós e sobra em Forrest é ação. O que sobra em nós e falta em Forrest é o intelecto fruto dos sonhos vazios e incompletos de nossa existência. Dessa forma, Forrest é um ser humano completo como muitos nunca chegarão a sonhar ser.

É claro que estamos falando de uma lenda. Ele nunca existiu, assim como nunca foi condecorado duas vezes na Casa Branca, ou conheceu John Lennon em um programa de entrevistas, ou investiu no mercado de camarões ou na promissora Apple. Nada do que Forrest fez existiu, assim como quase nada que nós pensamos sobre nossas próprias vidas, pessoas de QI médio, foi realizado de fato. Nossa imaginação é mil vezes mais ativa que nosso próprio corpo. É por isso que Forrest existe em nossos sonhos. E sempre existirá. É a lenda do americano que foi lá e fez. Tudo.

E por algum motivo o roteirista Eric Roth sente necessidade de inserir romance como a base de tudo. O amor de Forrest pela inalcançável Jenny (Robin Wright, mulher do congressista Frank Underwood em House of Cards). Jenny é linda e inquieta. Talvez ela seja inalcançável por ela mesma. Abusada pelo seu pai, sua vida é torna e cheia de percalços. Mas Jenny não realizou nada. Ela é fruto de adoração de uma lenda, e vai entender isso só muito tempo depois.

Consideremos Tom Hanks. Ele é Forrest Gump na vida real. Ele não parece alguém muito inteligente, mas um ótimo ator e gente boa. Ele é o cidadão médio que paga seus impostos e ajuda velhinhas quando precisa. O camarada da Academia, ganhador de não-sei-quantos Oscar. Ele é um ator que chega e faz. Alguns resultados deixam a desejar, mas olhe para a fileira de personagens interessantes que ele já interpretou. Ele é Forrest Gump em carne e osso.

Talvez Forrest Gump não agrade os pé-no-chão. Mas peço pense por um instante. Eu sou um pé-no-chão, também, mas entendo quando um filme quer me fazer voar. Nem que seja um pouco. Através desse voo ele irá me mostrar as maravilhas da imaginação. E, melhor ainda, o quanto podemos alcançar se deixarmos essa imaginação de lado. O quão realista isso soa para você?

Wanderley Caloni, 2018-01-12. Forrest Gump: o Contador De Histórias. IMDB.