Free Birds

Free Birds é um desenho com qualidade técnica discutível e narrativa idem. Suas ideias oscilam entre o divertido e o repetitivo. Seus personagens são quase cópias de outros desenhos. Dito isto, o conjunto da obra mais impressiona por conseguir levar a história do começo ao fim a despeito de todas suas limitações.

A história envolve viagem no tempo em um objeto que não apenas se assemelha a um ovo como à nave de Ellie em Contato (com suas paredes translúcidas), ou seja, espere por todas as homenagens necessárias a obras que brincam com esses conceitos, sejam o clássico Contato já citado ou os tri-clássicos De Volta Para o Futuro (há uma citação “divertidinha” de Doc. Brown a respeito de uma pessoa se encontrar com ela mesma do passado).

Mesmo com piadas faltando aquele toque a mais e com pedaços de histórias não-originais, ainda assim a dedicação pessoal em contar essa história supera mais uma vez suas deficiências narrativas. Os personagens mais importantes são dois perus que voltam no tempo para alterar o evento onde eles se tornam o prato principal do feriado americano do Dia de Ação de Graças. O que encontram lá se torna a sequência mais interessante do filme.

Jimmy Hayward já havia dirigido o subestimado “Horton Hears a Who!” em 2008 (Horton no Mundo dos Quem), e continua sendo uma alternativa curiosa dos grandes estúdios e seus milhões de pixels. Aqui em Free Birds há um espaço enorme de caixa de areia onde muitas ideias poderiam ser, mais uma vez, reaproveitadas em produções mais caras.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2014-08-15 imdb