Fringe (piloto)

Logo no começo, Fringe estabelece as conexões necessárias para uma longa jornada em torno do que a ciência descobriu, mas está nas mãos de poucos. Utilizando uma dose suficiente de tecniquês com senso comum, a primeira aventura utiliza efeitos visuais de primeira linha, um thriller policial com tons dramáticos convincentes e personagens em situações que permeiam muito bem o limite entre o plausível e a loucura.

Criado por J.J. Abrams (Lost) e seus amigos, a série tem como heroína a agente do FBI Olivia Dunham (Anna Torv). Junto dela, pessoas sombrias e cheia de mistérios mantém o clima fantasioso necessário para utilizar teorias de pseudo-ciência e conspirações silenciosas.

O roteiro do primeiro episódio, mais longo que os outros, consegue manter uma estrutura próxima de um filme, mas que sacrifica um pouco de sua criação para dar lugar à continuidade esperada de uma série. Resta saber se a promessa inicial de uma história que se desenvolve a cada episódio irá se cumprir, ou se essa é apenas a velha fórmula de chamariz que irá em seguida reprisar a mesma fórmula de 50 minutos.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2015-12-12 imdb