Glow

Mais um filme feminista/SJW pela Netflix. Dessa vez nos anos 80, embora essa década já fosse libertadora para mulheres. É sobre elas entrando na luta livre, como os homens, e não apenas se exercitando na academia de ginástica, todas coloridas e com polainas. A série apresenta uma Alison Brie (Community) irreconhecível. Teoricamente ela paga peitinho (e bundinha) logo no piloto, mas se for ela mesmo, é frustrante como ela mirrou desde a série de comédia que a tornou particularmente desejada.

Sim, estou sendo um porco chauvinista, quase que de verdade, em meus comentários. Isso é para verificar se é possível atacar o conteúdo politicamente correto de GLOW sem perder a compostura. Convenhamos: não basta contar uma história não-convencional com a desculpa da diversidade. Continua sendo um engodo empurrar mais uma série de personagens bizarros, mas medíocres, inconsequentes, evitáveis. Prefira Girl Boss.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2017-07-31 imdb