Harry Potter e a Pedra Filosofal

Wanderley Caloni, December 7, 2018

Assistir novamente a Harry Potter e A Pedra Filosofal depois dos atores crescidos e a computação dominar o cenário de efeitos visuais cria uma nostalgia quentinha no coração.

Por ser um filme de origem, muitos detalhes da história tiveram que ser contados de forma burocrática, mas a imaginação de J. K. Rowling transforma o exagero do mundo mágico dos bruxos, coexistindo debaixo das barbas dos não bruxos (trouxas, esse é o nome), em uma diversão à parte. Quando uma chuva de cartas inunda a residência dos tios do pequeno órfão Harry Potter nós sabemos que as regras da magia podem dominar nossa percepção daquela realidade.

Além disso, detalhes desse mundo peculiar dos bruxos também preenche nossa imaginação, como os banqueiros que guardam moedas de ouro em cofres acessíveis por um sistema de minas, ou a maneira poderosa como objetos como um chapéu escolhe a escola dos recém chegados alunos, ou como é a varinha mágica que escolhe o seu dono e não o contrário, como imaginaríamos.

Além disso, pequenos truques de magia como fotos e quadros animados e escadarias que decidem mudar de lugar conseguem nos inserir completamente naquele mundo mágico da escola de Hogwarts e nos dar uma impressão, ainda que parcial (são crianças) do mundo que Harry Potter e seus recém amigos estão adentrando.

Todas essas novas experiências são cercadas por um mistério envolvendo inimigos do bruxinho e uma história de vingança. Hoje ela é conhecida por todos, mas hoje também os filmes infantis são inofensivos, o que os tornam facilmente esquecidos. Aqui a morte passa próximo das crianças, e é isso que nos faz levar a aventura a sério.

Ainda assim, a direção de Chris Columbus (Esqueceram de Mim) e a trilha sonora de John Williams (que cria o memorável tema da série) abraçam o caráter infantil desse primeiro trabalho cinematográfico da série de livros. As cores são muito vivas, e jogar quadribol voando em vassouras, apesar de arriscado, é uma atividade colorida e lúdica. Também o são as criaturas mágicas que habitam o castelo de Hogwarts e sua floresta.

Eis um filme que consegue empolgar criança e adulto. Criança porque quem não adoraria viver um mundo onde a magia, além de realidade, é um mundo cercado de mistérios? E adulto porque quem não adoraria voltar a ser criança em uma versão mágica e livre das leis da física? Eu estou na fila.

Imagens e créditos no IMDB.
Harry Potter e a Pedra Filosofal ● Harry Potter and the Sorcerer's Stone. Reino Unido, EUA, 2001. Escrito por Steve Kloves baseado no romance infanto-juvenil de J.K. Rowling. Com Daniel Radcliffe, Rupert Grint, Richard Harris. Nostalgia, efeitos antigos. ● Nota: 3/5. Categoria: movies. Publicado em 2018-12-07. Texto escrito por Wanderley Caloni.


Quer comentar?