Haymatloz - Exílio na Turquia

Este é um documentário quase televisivo, descritivo, que não tem praticamente nada a falar. Burocrático do começo ao fim, tem por objetivo uma homenagem aos professores expulsos da Alemanha Nazista que lecionaram em Istambul, na Turquia, além de alguns na Suíça. Seus filhos e netos voltam, então, às origens e o que vemos acaba por aí.

Sim, há longas descrições dos descendentes dessas pessoas, uma piadinha ou outra pelo fato de serem Judeus e Turcos, de serem mal vistos em ambas as culturas. Passadas sete décadas da segunda guerra, o sionismo ainda encontra mais um local para ser reverenciado.

Concidentemente, a fundação de faculdades e universidade em Istambul, além de um regime progressista, parece ter criado o clima propício para que esses professores de diferentes áreas de ensino surgissem como as referências iniciais dessas escolas do conhecimento. O progresso coincide com uma política secularista, mas o documentário e suas testemunhas deixam claro que reconhecem muito a presença do Estado como uma religião importante para o desenvolvimentismo da região, mesmo que estudantes sejam atacados hoje durante protestos e, assim como no Brasil, a população se sente insegura na presença de policiais.

A diretora Eren Önsöz faz questão de tornar toda a narrativa monótona do começo ao fim, retomando os mesmos temas (política, cultura, família, história) várias vezes, de forma que não há como o espectador reter uma linha de raciocínio específica, fazendo com que, mesmo como um programa para informação pura e simples, o filme seja esquecido assim que saímos da sala.

Além disso, as diversas incursões pela nostalgia dos filhos dos professores é lenta e vazia, pois sequer compara o antes e o depois, tornando toda a experiência um show de desinformação contemplativa.

★☆☆☆☆ Wanderley Caloni, 2016-10-31 imdb