Herança de Sangue

Sep 4, 2016

Imagens

Mel Gibson parece ser uma espécie de persona que foi se construindo aos trancos e barrancos através de seus heróis no Cinema e vilões na vida real. O duro na queda Máquina Mortífera e o mártir de Coração Valente encontram o homem violento em suas relações domésticas com o idealizados com tendências anti-semitas, e dessa reunião de diferentes personalidades nasce uma adaptação de romance que tem a sua cara: se sacrificar pela próxima geração é um clichê de Gibson, mas seus trejeitos e referências é um clichê de sua vida real.

Se não fosse assim, a cena de perseguição de motos não lembraria Mad Max, e sua filha (no filme) não ficaria tão espantada de ver o pai sem barba, lembrando sua vida doméstica. Assim como um de seus antigos amigos é um nazista, e há uma tendência cômica de Gibson em torna seu personagem um ser que desistiu de viver sem o sarcasmo, mas que agora precisa carregá-lo em quase toda a cena e junto dele uma preocupação autência por sua filha que vem lhe pedir ajuda.

Gibson é um ator carismático, e conseque exaltar sua simpatia desde o primeiro momento. A atriz que interpreta sua filha, Erin Moriarty, possui boa presença de tela e é seu drama que acompanhamos na penumbra, mas nem de longe ela lembraria uma adolescente de 17 anos.

Com um fio condutor que praticamente homenageia Mel Gibson (na vida real e nos Cinemas), o roteiro adaptado de Peter Craig (que escreveu o romance) parece feito para o ator. E ainda assim, é realista o suficiente para se transformar em um raro exemplo de filme de ação embalado em drama que funciona justamente pelo drama, e pelos seus personagens não serem apenas pedaços de carne genéricos a serem abatidos.

E é por isso que você irá ver nesse filme algumas das cenas de ação mais tensas e realistas do ano. A câmera do diretor Jean-François Richet está aí para exaltar realismo enquanto se esforça para que nada fique no caminho, nem a trilha sonora. Sua montagem determina o clima claustrofóbico de estar sendo perseguido e não poder confiar em ninguém de maneira muito melhor que as incontáveis vezes que Liam Neeson busca sua filha e mulher raptadas.

Uma pena, portanto, que os vilões não façam por merecer. São parte integrante de uma grande máfia latina perigosa, e o mandante é um jovenzinho que tem um namorico de dominação com a filha de Mel Gibson. Escolheu o par errado. Agora você tem um pai que não mede esforços para colocar uma bala na cabeça de seu genro.

Wanderley Caloni, 2016-09-04. Herança de Sangue. Blood Father (France, 2016). Dirigido por Jean-François Richet. Escrito por Peter Craig, Andrea Berloff, Peter Craig. Com Mel Gibson, Erin Moriarty, Diego Luna, Michael Parks, William H. Macy, Miguel Sandoval, Dale Dickey, Richard Cabral, Daniel Moncada. IMDB. Texto completo próximo ou após a estreia no CinemAqui.