House of Cards - Quinta Temporada
Wanderley Caloni, 2017-06-05

Uma nova temporada de House of Cards significa que as peças do jogo serão remanejadas para dar início a outra partida, e a história é sempre sobre o remanejamento de peças, e não a partida em si. A Netflix usa e abusa de seu formato, já que a temporada inteira foi concebida para ser assistida em sequência. Os episódios quase nunca terminam em reviravoltas, mas em conclusões. São mini-capítulos da eterna história pela busca do poder.

E, para todo mundo que já assistiu essa série, sabe que ela não é sobre mocinhos versus bandidos. Todos são bandidos. A ação quase sempre se passa na Casa Branca! É sobre a máfia estatal, seus capangas, seus dirigentes, seus espiões. Não há lugar para pessoas boazinhas por aqui, já que nossa evolução propriciou justamente o pior dos ambientes para que os piores psicopatas da região dominassem sobre todo o restante de primatas ignorantes e alienados. Francis Underwood cada vez mais se parece com o símbolo da busca incessante por poder, e ele aos poucos se distancia do vilão sem coração que foi pintado em momentos anteriores. Ele é apenas um dos personagens mais honestos da série, sendo divertido, mas repetitivo, acompanhar seus comentários paralelos com seu espectador (nós).

A honestidade de Frank bate de frente com a tranquilidade de sua esposa, Claire, que começa aos poucos perceber a estratégia do marido, quase que por telepatia. Os dois estão empenhados, alinhados, e é ótimo ver isso. Quem não gostar das preferências (ou opções) sexuais dos dois irá se sentir ofendido por esse casal. Mas não é lindo como ambos são honestos a respeito de praticamente tudo? A Claire da Season 5 é a sequência direta da 4, e ela empolga por ganhar aos poucos terreno em um ecossistema feito para homens. Robin Wright não é apenas uma ótima atriz, mas dois dos melhores episódios da temporada, os dois últimos, são dirigidos por ela. Há muitos diretores desta vez, e um resultado um tanto irregular, o que dá ótimas oportunidades para Claire brilhar ainda mais.

Não é uma temporada com muitos momentos brilhantes, e ela foi cozida em fogo morno. Porém, ela tenta se reciclar, o que é louvável, mas já deveria ter terminado muito antes do seu quinquagésimo capítulo.

★★★★☆ House of Cards. USA. 2013. Direção: James Foley, Robin Wright, John David Coles, Carl Franklin, Tucker Gates, Tom Shankland, Alik Sakharov, Allen Coulter, David Fincher. Roteiro: Beau Willimon, Andrew Davies, Michael Dobbs, Laura Eason, Bill Kennedy, Kate Barnow, Sam Forman, John Mankiewicz, Melissa James Gibson. Elenco: Kevin Spacey (Francis Underwood), Robin Wright (Claire Underwood), Michael Kelly (Doug Stamper), Justin Doescher (Frank Underwood Security / ...), Nathan Darrow (Edward Meechum), Lamont Easter (Underwood Secret Service), Mahershala Ali (Remy Danton), Derek Cecil (Seth Grayson), Mark Falvo (White House Press Corps / ...). Edição: Lisa Bromwell, Byron Smith, Cindy Mollo, Sidney Wolinsky, Michelle Tesoro, Kirk Baxter, Michael Ruscio, Katherine Skjerping. Fotografia: Igor Martinovic, David M. Dunlap, Eigil Bryld, Peter Konczal, Martin Ahlgren, Paul Elliott, Tim Ives. Trilha Sonora: Jeff Beal. Duração: 51. Aspecto: 2.00 : 1. Drama. #netflix