Laerte Se

2017/09/24

Laerte é um cartunista famoso que em uma fase avançada da vida decide sair do armário da maneira mais torta possível: começa a se vestir de mulher. Só isso. O que se segue é um filme que analisa de maneira repetida, clichê e bem morna as “aventuras” deste artista simples, humano e, ainda que saindo palavras militantes saindo de sua boca, extremamente avesso a qualquer problematização da classe violenta e hierarquizada dos transsexuais.

As diretoras deste documentário, Lygia Barbosa e Eliane Brum, parecem fascinadas com seu conteúdo, mas incapazes de criar qualquer narrativa minimamente interessante. Se trata de tomar um chá da tarde com Laerte e perceber que (surpresa!) ele é um ser humano como outro qualquer, com dúvidas, medos, receios, mas também feliz em ser ele mesmo.

O maior trunfo do filme é o próprio Laerte e seu jeito simples. Sim, a situação de um homem depois dos cinquenta anos se vestindo de mulher e sem ter operado seu corpo é ridícula. Mas, voltando ao trunfo, Laerte parece trazer sua humanidade como maneira de demonstrar que seres humanos não precisam de padronização.

A maior problemática do filme é tentar problematizar uma situação simples. O cartunista já era famoso e não receberia retaliações dos outros por qualquer coisa que ele fizesse (ele mesmo fala isso). Então, não há conflito, drama, nada. Há apenas a vida simples de alguém com uma sexualidade não-usual. A grande questão é: e daí?

★★★☆☆ Laerte-se. Brazil, 2017. Direction: Lygia Barbosa. Eliane Brum. Cast: Laerte Coutinho (Laerte Coutinho). Rita Lee (Herself). Edition: Nani Garcia. Soundtrack: Alexandre Guerra. Runtime: 100. Gender: Documentary. Release: 1 May 2017 (Netflix). Category: movies Tags: netflix

Share on: Facebook | Twitter | Google