Little Nick - Um Diabo Diferente

Todo momento em Little Nicky pode ser resumido em pausar a ação, ver uma piada de gosto duvidoso, dar ou não uma risada – algo muito pessoal – e continuar a história do filho do diabo que precisa reencontrar seus dois irmãos na Terra e enviá-los de volta para o inferno ou seu pai, o Diabo, irá derreter até definhar.

Adam Sandler, ou Little Nicky, está com a cara torta, uma franja que cobre metade do seu rosto e uma voz distorcida que quase implora nossas desculpas por ele ser… Adam Sandler? Não interfere muito na história, mesmo trazendo junto sua persona daquele rapaz com potencial que por algum motivo nunca conseguiu provar seu valor, encontrando seu amor ao acaso e que lhe dá forças para completar sua missão. Já tendo vendido sua alma em Hollywood, o que explica seu inexplicável sucesso repetindo essa fórmula a cada novo filme, Sandler está confortável como o mal encarnado, e mesmo que ele não lhe agrade, vê-lo morrer tantas vezes e ir para o inferno vira uma espécie de bônus.

Já Rhys Ifans, um de seus irmãos, repete sua participação de 12 anos depois em O Espetacular Homem Aranha com a segurança de um canastrão profissional (e britânico). Seu irmão negro quase não aparecerá, o que não é de se surpreender nos roteiros da trupe de Sandler, sempre recheados de piadas homofóbicas, racistas, sexistas, ou apenas óbvias (como o castigo regular de Hitler: ter enviado alguma coisa em seu ânus, uma ideia digna de um dos “marcos” atuais no humor stand-up brasileiro: Rafinha Bastos).

Já para aquela diversão “comunzinha”, há vários efeitos visuais que funcionam bem, como um cão falante, aranhas com a cara de Adam Sandler e um voo estilo Superman que quase consegue realizar uma piada que preste ao brincar com as fantasias Disney do “eu acredito”, mas se perde em algum lugar entre o muito ruim e o insuportável. Aliás, boa parte das gags entrarão nessa categoria, então devo alertar que a diversão ou a regressão (mental) é algo completamente subjetivo aqui. Se quiser assistir, boa sorte.

Ah, e temos o bônus da testudinha da Reese Witherspoon, que é a (spoiler?) mãe de Nicky, e ainda jovem no melhor estilo Patricinhas de Beverly Hills (mas sem o lado sensual).

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2015-08-09 imdb