Looper Assassinos do Futuro

Não é sempre que uma ideia fantasiosa pode render uma boa história, como infelizmente foi visto no irregular O Preço do Amanhã. Porém, apenas a tentativa de usar um conceito futurístico como viagem no tempo e tentar aplicá-lo em um filme de ação já merece créditos. No caso de Looper estamos falando de um roteiro original escrito e dirigido por Rian Johnson, que também assina a dupla função em Vigaristas e A Ponta de um Crime.

Roubando cem por cento de nossa atenção desde o início, estamos em 2042, quando a viagem no tempo não foi inventada ainda, mas para onde são enviadas pessoas de 30 anos no futuro para serem eliminadas por uma gangue de assassinos. A explicação é muito sensata: em 2072, as técnicas forenses estarão tão avançadas que será impossível eliminar por completo o corpo das vítimas. Para essa função são contratados delinquentes que precisam apenas apontar seus bacamartes para onde a pessoa do futuro surgirá e atirar. O bacamarte, vale a pena notar, só serve de fato para atirar em alvos muito próximos, sendo quase ineficaz em uma luta armada.

Tendo todos os detalhes extensamente explicados pela figura onisciente de Joe (Joseph Gordon-Levitt), um looper ainda em início de “carreira”, a grande questão que o filme coloca é que a aposentadoria desses sujeitos é feita no mesmo molde: o próprio assassino é enviado do futuro para que ele mesmo termine o serviço, eliminando-o e criando uma espécie de suicídio com 30 anos de atraso. Acostumados a receber o pagamento em barras de prata presos ao corpo de suas vítimas, essa última “remessa” possui uma generosa quantidade de ouro, para que de fato o looper viva o resto de sua vida longe de problemas.

Não há por que duvidar que essas pessoas matem a si próprias para aproveitar uma vida de luxo. O universo criado em 2042 é uma extensão da nossa própria sociedade atual, onde o que mais importa é usufruir o momento e ostentar personalidades que hoje soariam patéticas caso não se venerasse tanto o estilo do século XX. Há inclusive uma piada a respeito de gravatas proferido por Abe (Jeff Daniels), o mandante dos loopers que viajou para o passado justamente para criar a gangue de assassinos.

O filme realmente começa quando um pequeno infortúnio na vida do jovem Joe faz com que ele evite matar seu eu do futuro (Bruce Willis) e desencadeie uma série de eventos que poderão culminar na eliminação de um suposto chefão supremo do crime que estaria eliminando todos os loopers um a um. O encontro dos dois, é preciso dizer, constituiria o maior deleite para os aficionados por desafios intelectuais de viagem no tempo, caso esse não fosse um filme de ação. No entanto, é possível se divertir com o fato de que o velho Joe obviamente é mais experiente que o novo, e é esse que salva “a si próprio” de maiores problemas.

O roteiro de Rian Johnson é rico em pequenos detalhes que exploram esse universo de maneira a sempre evitar que o espectador entenda o que está para acontecer. Com isso, a tensão se cria a partir da história como um todo, e não apenas de pequenos fatos isolados, o que engrandece a narrativa. No entanto, para isso o diretor Rian Johnson gasta boa parte do tempo apresentando corretamente seus personagens intermediários, que terão um papel cada vez mais primordial na história — e note como essa importância é pontuada por uma breve homenagem à série Exterminador do Futuro. No entanto, justamente por aparecerem na metade da projeção essas longas introduções forçam o ritmo para um drama e acabam distraindo mais do que impulsionando a tensão. Salvo, é claro, por uma sequência pontual capaz de tirar o fôlego de quem estava já se acomodando para dormir na poltrona do cinema.

A experiência final, porém, não consegue negar que no fundo estamos vendo a dois filmes diferentes, de tão distintos os conflitos. Isso, contudo, não desmerece a virtude de Looper de conseguir criar tensão justamente pela sua história original o suficiente para ganhar nossa atenção. Um mérito, é preciso dizer, cada vez mais raro em Hollywood.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2012-10-09. Looper Assassinos do Futuro. Looper (USA, 2012). Dirigido por Rian Johnson. Escrito por Rian Johnson. Com Joseph Gordon-Levitt, Bruce Willis, Emily Blunt, Paul Dano, Noah Segan, Piper Perabo, Jeff Daniels, Pierce Gagnon, Qing Xu. imdb