Puella Magi Madoka Magica the Movie Part III: Rebellion

Jun 27, 2015

Imagens

Madoka Mágica, uma série com começo, meio e fim embalada em uma arte-sequência deliciosamente artística de acompanhar e um enredo absurdamente filosófico para os que destratam anime, resolve extrapolar alguns conceitos de sua conclusão original, criando esse longa-metragem onde, podemos dizer, tanto a parte artística quanto a narrativa são multiplicados por 1000, e perdendo apenas um pouco de suas rédeas originais, ainda que compensando pela sua realização.

Dirigido pelos mesmos criadores da série, e que aparentemente fizeram dois outros filmes anteriores a esse (mas que por algum motivo parecem não ter chegado ainda ao Ocidente), essa história a princípio parecia independente, mas aos poucos foi-se revelando o inevitável: ela precisa que a pessoa assista à série original, o que já enfraquece um pouco o enredo.

De qualquer forma, ela faz várias homenagens de onde foi inspirado, e não parece ser totalmente criada para fazer dinheiro, mas para complementar ideias que podem ter ficado de fora no seu primeiro tratamento. Aqui iniciamos a história em uma espécie de realidade alternativa, onde todas as garotas mágicas que viviam na cidade onde os fatos da série ocorreram se conhecem e combatem fantasmas e seus pesadelos. Não existe o conceito de bruxa, apesar de uma nova mascote obviamente parecer ser um derivado delas. Como todos que já assistiram à série sabem, e como esse filme não faz sentido sem seu conteúdo original, não considero spoiler dizer que da forma com que as coisas acabaram, o Universo foi reescrito sem a existência de Madoka e sem o fim trágico de uma garota mágica: se tornar uma bruxa.

No entanto, a história em Rebellion desmente justamente essas premissas, atingindo seu objetivo no momento em que Homura Akemi (sempre ela) suspeita estar vivendo em um mundo de mentira fabricado por alguém. A busca por esse alguém é o que traz algumas das surpresas mais interessantes do universo da série/filmes, além de graficamente tanto as lutas quanto as sequências paradas terem se beneficiado de uma notória evolução em seus conceitos, onde cores, formas e até estilos diferentes de animação se juntam pelo bem na narrativa e pelo dinamismo de sua história. Se configurando como uma quase-arte abstrata, as discussões a respeito de realidades alternativas, individualismo, desejo, destino e essência ganham rimas extremamente poderosas em seu visual e até em sua trilha sonora, que se aproveita dos temas originais para compor uma extensão orgânica e interpretável como um desdobramento de uma lógica interna que antes era fechada.

Contando com criadores que aparentemente se especializaram em elevar à quarta potência tudo que havia sido dito, visto e pensado pelas personagens-chave da série, o roteiro de Rebellion consegue extrair essa complexidade em seus diálogos, mas infelizmente não deixa de ser previsível em determinados momentos, se auto-sabotando pontualmente, ou talvez no mínimo piscando descuidadamente para seu espectador. Continuando em seu processo de auto-análise filosófica, perde a chance de se manter em um nível razoável de interpretação de sua obra em uma primeira visita, preferindo uma abordagem hermeneuticamente centrada na metalinguagem de seu próprio enredo, se perdendo em elucubrações em um ritmo igualmente alucinante. Se esse parágrafo lhe parece particularmente difícil de entender, acredite: Rebellion é muitas vezes mais.

Ainda assim, com dois grandes defeitos em comparação à obra anterior (1: depender de material prévio, 2: auto-análise filosófica inatingível), Madoka Mágica Rebellion pode se mostrar como um trabalho maduro que inacreditavelmente tem origem na animação japonesa, e que com ela ainda se beneficia ao expor graficamente seus dilemas. Uma obra ímpar que deveria ser visitada pelo menos duas vezes. Pelo menos é o que eu tentarei fazer.

Wanderley Caloni, 2015-06-27. Puella Magi Madoka Magica the Movie Part III: Rebellion. Gekijouban Mahou shojo Madoka magika Shinpen: Hangyaku no monogatari (Japan, 2013). Dirigido por Yukihiro Miyamoto, Akiyuki Shinbo, Alex Von David. Escrito por Gen Urobuchi, Alex Von David. Com Aoi Yuki, Chiwa Saito, Eri Kitamura, Kaori Mizuhashi, Ai Nonaka, Kana Asumi, Emiri Katou, Yûko Gotô, Tetsuya Iwanaga. IMDB.