Madrugada dos Mortos

Feb 14, 2015

Imagens

Queria comparar algum filme de zumbis que não fosse de George Romero ou comédia (Zumbilândia, Meu Namorado é um Zumbi) e nem tão dramático/ação (World War Z), mas que carregasse aqueles símbolos do velho Cinema de Romero no melhor estilo A Noite dos Mortos-Vivos. E eis que finalmente vi esse Madrugada dos Mortos, de Zack Snyder (do interessante Sucker Punch, do sensacional Watchmen e do infelizmente medíocre Homem de Aço).

Com uma fotografia saturada, cenas ágeis, suspense com trilha sonora e sons de arrepiar os ouvidos, o apocalipse zumbi de Snyder aproveita a mitologia e o universo de Romero e a própria atmosfera, o que não é nenhuma surpresa, pois se trata de um remake do filme dos anos 70. Curiosamente, tanto o shopping (Terra dos Mortos) quanto a ilha (A Ilha dos Mortos) foram reaproveitados por Romero em trabalhos posteriores.

Usando uma introdução espetacular em que a enfermeira Ana (Sarah Polley) vê sua filha e seu marido estranhamente possuídos por uma doença semelhante a raiva, o filme mostra rapidamente o que o mundo se torna em uma sequência que enxergamos o carro inteiro de Ana e a atmosfera de sua vizinhança. Usando o mesmo esquema durante todo o filme, as sequências de ação são eficazes mesmo parecendo uma produção de baixo orçamento, o que deixa no chinelo trabalhos trash cômicos como Sharknado (apesar de eu gostar dos tubarões voadores). O ritmo do filme serve tanto para esconder esses defeitos como para esconder a profundidade da narrativa, já que os personagens são, claro, unidimensionais, mas representam justamente seres humanos genéricos. Porém, mesmo assim, possuem mais profundidade que a grande maioria dos dramalhões Hollywoodianos.

O melhor que há em Madrugada dos Mortos é sua despretensão e suas brincadeiras com metalinguagem. Quando conhecemos o destino do suposto vilão, por exemplo, é ele melhor que diz: “era de se esperar”. Saber brincar com o próprio material é uma excelente forma de contar histórias que não devem ser levadas a sério. É curioso, portanto, como séries como The Walking Dead conseguem tantas temporadas com uma base dramática rala que usa zumbis, seres mitológicos cômicos, como o perigo constante. Faça-me o favor: os bichinhos sequer correm! Ponto a mais para Snyder.

Wanderley Caloni, 2015-02-14. Madrugada dos Mortos. Dawn of the Dead (USA, 2004). Dirigido por Zack Snyder. Escrito por George A. Romero, James Gunn. Com Sarah Polley, Ving Rhames, Jake Weber, Mekhi Phifer, Ty Burrell, Michael Kelly, Kevin Zegers, Michael Barry, Lindy Booth. IMDB.