Maus Hábitos

Wanderley Caloni, March 30, 2019

Às vezes fico na dúvida se gosto mais da fase do Almodóvar raiz ou nutella, mas revendo Maus Hábitos me dou conta que a versão raiz é muito mais atraente. É de baixo orçamento, mas mais despojada, onde ele fazia muito (e mais) com pouco.

Aqui a história se passa quase toda em um convento e ele nos diverte com freiras totalmente fora de controle. E a culpa é de Jesus! Explico.

Siga o raciocínio: o messias veio salvar os pecadores. As maiores pecadoras, depois de aprontarem demais, buscam redenção na casa de Deus. Semi-celebridades que tiveram uma vida interessante regada de luxúria e muitas drogas. O convento abriga essas mulheres para sua conversão, elas melhoram e partem. E quem fica se torna viciada nessa vida mundana. Ou seja, as próprias freiras. E quando a Madre Superiora fica enferma sem poder controlá-las, se apaixonando por uma cantora que se refugia no local, não há mais nada a ser feito.

E a parte hilária dessa história é que ela faz sentido, ainda que em um universo levemente fantasioso.

Almodóvar é o Woody Allen espanhol. Ambos sempre parecem estar fazendo uma comédia absurda sem um pé na realidade, mas no fundo o conhecimento humano desses dois é inexplicavelmente preciso e profundo. E a naturalidade com que fazem em seus roteiros nos faz perder a capacidade de análise lógica. Perde-se a referência de como se escrevem roteiros porque os deles não se parecem com um. Parecem uma versão da vida mais interessante de acompanhar.

Maus Hábitos tem lá seus momentos teatrais, mas nunca é só isso. Note o enquadramento que coloca a áurea da santa de um quadro na cabeça da cantora foragida porque seu namorado foi envenenado por uma dose de heroína. Ou o desfile de moda com os vestidos que o padre desenhou para as irmãs, com um conjunto por estação. A mão do diretor espanhol está sempre conduzindo suas atrizes com diálogos à prova de mau gosto.

Chamar este filme de irreverente é pouco, mas chamar de polêmico parece um exagero. Almodóvar nunca é polêmico, pois soa tão natural quanto a própria vida real. Mesmo que aqui e ali esta “vida real” esteja pincelada de eventos dignos de uma novela mexicana.

Imagens e créditos no IMDB.
Maus Hábitos ● Entre tinieblas. Espanha, 1983. Dirigido e escrito por Pedro Almodóvar. Com Cristina Sánchez Pascual, Will More, Laura Cepeda, Julieta Serrano, Marisa Paredes, Carmen Maura. ● Nota: 4/5. Categoria: movies. Publicado em 2019-03-30. Texto escrito por Wanderley Caloni.


Quer comentar?