Meu Malvado Favorito 3

Esta é uma continuação nos mesmos moldes do primeiro e do segundo filme. O mesmo estilo de piada nos acompanha, seja de Gru, de Agnes, das outras meninas, da sua agora namorada, e agora do seu irmão gêmeo e um vilão que, ao contrário do primeiro moderninho Vetor, agora é um bandido ao estilo anos 80. E também descobrimos que o pai de Gru era um vilão estilo anos 60, digno dos filmes de James Bond. Ou Austin Powers.

Todo esse emaranhado é traçado por um fiapo de história que está interessado principalmente nas piadas. E elas funcionam. Principalmente com os Minions. Criaturinhas curiosas, essas. Parecem um receptáculo das piadas mais escrotas que poderiam estar em um desenho animado. E elas funciona. Pelo menos para os adultos mais crianças, ou as crianças mais adultas.

Além disso, há fofice no ar com Agnes, e ela quase sempre rouba a cena. Está em busca de um unicórnio em uma floresta. É impressionante como nada tem muita lógica nos filmes dessa série, mas por algum motivo nos esquecemos disso e deixamos passar. Parece pelo bem da diversão. Esqueçamos um pouco Disney/Pixar, Dreamworks. Essas grandes, sim, precisam zelar por muito. Aqui temos apenas que dar boas risadas.

E elas acontecem, mais do que o tédio. Há criações visualmente curiosas, como um avião estilo navio-pirada que conduz vários minions agrupados em um saco feito com roupas de presidiários. Mas uma torre-fortaleza do vilão dos anos 80 com um cubo mágico em cima foi de matar. Pior que isso só usar um Genius (aquele brinquedo de memória), walkman, gomas de mascar e clássicos da música da época. Ainda assim, fica difícil reclamar de um filme tão simpático.

E é por isso que Meu Malvado Favorito 3 é um filme razoável, mesmo não tentando fazer nada de novo. Ele simplesmente é entretenimento que não pisa muito na bola. Não espere mais nada que o primeiro e um pouco menos que o segundo e estará bem.

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2017-11-23 imdb