Modern Family - Primeira Temporada, Episódios 1 ao 5

Família Moderna é uma série que explora justamente o conceito que seu título sugere. Há um casal gay que adota uma criança estrangeira, há a imigrante nova que casa com o velho rico, que tem um filho que é mais maduro que o próprio velho. Há o casal americano padrão – para preencher a cota, supostamente – e basicamente é isso. Engraçadinho, sitcom, não sabemos se a ideia era retirar estereótipos ou reafirmá-los. Ou talvez tirar sarro de quem considera isso a vanguarda.

Talvez o maior problema da série é pegar carona nesse estilo já cafona e já clichê de “reality”: os pseudo-documentários. Uma câmera na mão. É um modelo aparentemente fácil, se você não se importa com a coerência. Garante resultados mais realistas de uma situação que não possui o refinamento necessário (“Derek”) ou é engraçado justamente por se infiltrar na mesmice de um departamento (“The Office”). No caso de Modern Family, parece simplesmente preguiçoso.

Aliás, tem sido assim com grande parte das séries americanas, que lotam a programação com câmeras na mão. Aparentemente, ninguém mais quer editar ou produzir conteúdo Eisensteineano. Simplesmente jogue o conteúdo na tela e vá trocando de contexto. É uma novela moderna, com gosto de indie.

No caso de Modern Family a experiência se torna mais medíocre ainda, já que a suposta câmera para a qual os personagens conversam não faz o menor sentido. Além disso, os dramas e situações vividos pelos personagens não possuem qualquer justificativa de existir apenas em famílias não-convencionais. Apenas a ideia de explorar o tema porque está na moda é revoltante.

Porém, é uma série divertidinha. Não provoca, não ofende e não explora nenhuma de suas “minorias” por conta de uma maioria. Apenas explora o estereótipo, o rebaixando a comédia de situação, para conseguir risadinhas simpáticas; exatamente como o (agora enlatado) The Big Bang Theory (que provaelmente irá terminar em um casamento).

★★★☆☆ Wanderley Caloni, 2016-08-04 imdb