Moscou Contra 007

O segundo filme da franquia James Bond — Moscou Contra 007 — irá estabelecer Sean Connery no papel principal, além de contar com o mesmo diretor e roteiristas. Um pouco mais confuso, muitas vezes desnecessariamente, a missão do 007 é obter um decodificador russo das mãos de Tatiana Romanova (Daniela Bianchi), uma agente do serviço secreto. O que o agente britânico ainda desconhece é que essa é uma armadilha dupla, armada pela SPECTRO, a mesma gangue de mentes criminosas em que participava Dr. No. Com uma belíssima direção de arte que consegue harmonizar a aventura através de diversos cenários diferentes (incluindo um trem), há o perigo constante na missão de Bond, mas esse perigo já começa a fugir um pouco do realismo sentido no primeiro filme, e o nascimento de Q, o líder de invenções bizarras da MI6, é o indício mais forte. Não há muitas mortes, e as que existem são necessárias. Podemos dizer que aqui começam algumas mudanças estruturais que deixarão a visão de James Bond eternizada como um agente invulnerável, embora corra alguns riscos eventualmente.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2012-11-11. Moscou Contra 007. From Russia with Love (UK, 1963). Dirigido por Terence Young. Escrito por Richard Maibaum, Johanna Harwood, Ian Fleming, Berkely Mather. Com Sean Connery, Daniela Bianchi, Pedro Armendáriz, Lotte Lenya, Robert Shaw, Bernard Lee, Eunice Gayson, Walter Gotell, Francis De Wolff. imdb