Mr. Vingança

A vingança vista em Old Boy, de Chan-wook Park, é o segundo filme do diretor sobre o tema. O primeiro, esse Mr. Vingança, é mais bruto. Não no sentido da violência ou da revelação final. Não há revelações finais, aliás (spoiler alert!), mas há duas metades de uma história: na primeira metade as pessoas e suas relações são escancaradas para que, na segunda metade, uma espiral sem fim de atos de vingança tome conta da tela. Muitas vezes o filme tenta soar apenas um pouco além do que ele verdadeiramente é, e por isso trai sua própria perfeição estética em troca de uma história muitas vezes sem rumo ou simbólica demais.

Porém, esse é um pecadilho diante da construção de personagens e relações viscerais. Tudo começa com um câncer, que começa na irmã de Ryu, que precisa parar de trabalhar, e com isso deixa de conseguir manter Ryu em uma escola especial. Ele é surdo/mudo, mas gostaria de ajudar a irmã com a doença. Decide, então, doar seu órgão, descobrindo no processo que seu tipo de sangue é incompatível e que existem pessoas dispostas a comprar seu rim e vender outro no lugar. Obviamente enganado no pós-operação, resolve com sua namorada sequestrar a filha de um ricaço e com o dinheiro do resgate conseguir salvar a irmã.

E chega de entregar detalhes da história. O resto é uma infinidade de fins trágicos que não conseguem encontrar um culpado senão o câncer original. Esse câncer parece que se espalha por aquelas pessoas, e simbolicamente pela sociedade. A namorada de Ryu, Cha Yeong-mi, estudou na mesma escola que ele, apesar de não ser surda. Ela sente em seu coração e em seus ideais que o capitalismo está causando dor para muitas pessoas em seu país, e ele poderia ser interpretado como o “câncer” do mundo, também. Há várias simbologias nesse pacote. Chan-wook Park prefere não se meter em explicar muito a respeito.

Cha Yeong-mi é interpretado por Doona Bae, a revelação de Cloud Atlas. Aqui ela também tem uma cena de sexo (não que isso seja muito relevante).

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2015-05-26 imdb