Nacho Libre

Comédias com Jack Black e Jim Carrey não são protagonizadas por atores atuando, mas antes por comediantes que usam a oportunidade para fazer suas esquisitices e deixar a plateia rir no vácuo de suas piadas muitas vezes de gosto duvidoso.

Aqui Jack Black é Nacho, que sonha em ser um astro da luta livre, mas que por enquanto tem que se contentar com seu emprego de cozinheiro (e frade) para órfãos de uma igreja isolada da cidade. Enquanto isso, surge por algum motivo uma nova professora para os meninos (são todos meninos) que é uma freira/interesse amoroso “how-convenient” para o nosso “herói” (a belíssima Ana de La Leguera).

Aliando-se a um bandido que o havia roubado, a dupla se torna uma sensação na cidade, apesar de sempre perderem as lutas que participam. Ambiciosamente buscando sua fama através do lutador mais famoso e talentoso “do mundo” (que está na tal cidade de Nacho), buscam um golpe de mágica para conseguirem milagrosamente ficarem bons de luta livre sem nunca sequer terem treinado para tal (exceto uma corrida na terra, uma luta contra uma colmeia de abelhas e mais algumas esquisitices).

Geralmente o que funciona no filme são as piadas visuais, notadamente a forma usada pelos dois para costurar seus uniformes, pegando cada parte de elementos do cotidiano. Também funciona a participação do engraçadíssimo Héctor Jiménez como Esqueleto (o parceiro de Black), que, não importa o que fale, sempre arranca um riso com sua presunção hilariante. O que não funciona mesmo é a história, que está desprendida em episódios que não ganham impulso algum e estão meramente encadeados em uma sequência que dá a entender que o tal golpe mágico parece estar funcionando.

Ou será que tudo não é fruto de um roteiro preguiçoso que simplesmente vai colocando os heróis sempre um passo mais próximo de suas ambições? Pois é, tudo para que esses comediantes tenham mais um tempinho para mostrar suas caretas e fazer suas esquisitices. Nesse caso, nem isso parece surtir muito efeito.

★★☆☆☆ Wanderley Caloni, 2014-09-20 imdb