O Aprendiz de Feiticeiro

Wanderley Caloni, August 13, 2010

E aqui vamos nós para mais um filme bonitinho, emocionante e formatado nos últimos padrões que a Disney recomenda para que tenhamos mais uma possível franquia seguindo os modelos razoavelmente bem sucedidos dos Piratas do Caribe e Crônicas de Nárnia, e também a futura promessa do Príncipe da Pérsia.

Aqui se trata de um aprendiz de feiticeiro que procura pelo primeiro descendente de Merlin que irá ter poderes para derrotar a poderosa bruxa Morgana, atualmente presa em uma espécie de boneca russa, mas que assim que libertada, e não for impedida, poderá destruir o mundo como o conhecemos.

Soou piegas? Com certeza. Além disso, temos um romancezinho de infância do protagonista que é o aprendiz de feiticeiro do título. Fora isso, o filme diverte na dose certa, com um bom ritmo de ação temperado com efeitos mágicos que enriquecem a narrativa — aliás, como deveria ser.

Até o início da “aventura”, enquanto Dave tenta desesperadamente alcançar o papel em que está escrito se a menina citada quer ser sua amiga ou namorada (eu disse que era piegas), uma sequência simples e eficiente, tudo parece fluir para mais uma aventura Disney.

E se por um lado as expressões de Dave quando criança (Jake Cherry) são continuadas por Jay Baruchel (o Dave crescido), infelizmente suas atitudes seguem uma curva muito irregular durante toda a projeção, onde horas ele está muito inquieto par se encontrar com seu amor Becky (Teresa Palmer) e em outros quer desesperadamente ser um feiticeiro. Independente de como for, ele é o mais irregular dos personagens, acompanhado pelos eficientes Nicolas Cage no papel de Balthazar Blake, o aprendiz de Merlin que deseja encontrar o garoto, e Alfred Molina, esse mais interessante no seu papel de Maxim Horvath, o bruxo que deseja libertar Morgana.

Mais interessante por algumas cenas como a que ele sai do vaso onde estava preso com Drake e pergunta ao dono da casa, em tom cansativo: “Sou o primeiro a sair?”. Em outra cena, preso a um espelho no banheiro do colégio, pergunta a uma pessoa que está olhando no espelho se ela poderia acordar seu capataz, Drake Stone, em um tom igualmente cansativo.

Uma brincadeira/referência interessante a Nikola Tesla, que anda cada vez mais sendo citado. Aqui, Dave possui suas próprias bobinas magnetizadas que emitem raios em alta frequência, e por isso geram música.

É impressionante como a única cena de morte, a do motorista que é atingido por Horvath enquanto este procura o vaso de Morgana, é escondido pelo vidro quebrado, provando igual competência que os filmes Transformer em esconder que um massacre está ocorrendo (nesse caso, foi apenas um “mero” assassinato, o que aumentaria considerável e desnecessariamente o nível de censura do filme como um todo).

E se estamos assistindo a um filme da Disney, pelo menos é um alívio não termos que ver apenas a referência tosca inicial do despertados do Buzz Lighyear, mas uma tentativa de reconstrução admirável da cena das vassouras em Fantasia, com direito à mesma trilha sonora. Foi o momento mais mágico do filme, pela nostalgia e pelo esforço.

Imagens e créditos no IMDB.
O Aprendiz de Feiticeiro ● O Aprendiz de Feiticeiro. The Sorcerer's Apprentice (USA, 2010). Dirigido por Jon Turteltaub. Escrito por Lawrence Konner, Mark Rosenthal, Matt Lopez, Matt Lopez, Doug Miro, Carlo Bernard. Com Nicolas Cage, Jay Baruchel, Alfred Molina, Teresa Palmer, Toby Kebbell, Omar Benson Miller, Monica Bellucci, Alice Krige, Jake Cherry. ● Nota: 3/5. Categoria: movies. Publicado em 2010-08-13. Texto escrito por Wanderley Caloni.


Quer comentar?