O Caçador e a Rainha do Gelo

Jul 1, 2018

Imagens

Continuação previsível, baixo orçamento, mas mantém o mesmo universo e alguns efeitos bem impressionantes. A história central é poderosa, pesa no final, mas todo o resto é um passeio monótono, pois praticamente tudo é previsível.

Jessica Chainstain, apesar de boazuda, fala que o Thor envelheceu, mas é ela que é a coroa. O trunfo do filme original era Charlize Theron, e ela só faz uma ponta aqui, no começo e no final. Isso é o que torna o filme minimamente interessante.

Porém, pelo resto das suas quase duas horas é um marasmo sem fim acompanhar os mesmos personagens realizando um trajeto seguro, sem riscos, apenas pelo dim-dim. Vemos o casal apaixonado se reencontrando. Chainstain não consegue convencer (e quem conseguiria?) que eles irão ficar separados porque ela acredita que ele o abandonou. Nem plot de novela é mais tão ruim hoje em dia.

Por outro lado, Emily Blunt como Rainha do Gelo é tão risível que até as bruxas de Oz Mágico e Poderoso se saíram melhor. Ela apenas exibe um doce olhar enquanto aguardamos a vinda da estonteante Theron.

Já Thor, quer dizer, Chris Hemsworth, continua com um bom timing cômico e seu jeito falastrão. Mas você acredita que o roteiro da dupla Spiliotopoulos e Mazin não conseguem tirar uma sacada engraçada do personagem?

Não me admira que toda a equipe técnica foi trocada deste filme. O original, dirigido por Rupert Sanders (na época estreante e ainda aguardando por algum filme que comprove sua eficácia), mantinha o frescor de recontar um conto já conhecido por todos no seu formato mais fofinho. Havia a identificação do espectador. Aqui a Rainha do Gelo se assemelha a uma versão televisiva de baixo orçamento de Frozen, com alguns efeitos escolhidos a dedo para colocar dinheiro e fazer o trailer.

Wanderley Caloni, 2018-07-01. Escrito por Evan Spiliotopoulos e Craig Mazin baseados nos personagens de Evan Daugherty. Dirigido por Cedric Nicolas-Troyan. Com Chris Hemsworth, Jessica Chastain, Charlize Theron. IMDB.