O Jantar

O professor de História Paul Lohman é uma figura que merece ser estudada. Interpretada flertando com o caricato, mas aos poucos revelando o meticuloso cuidado na confecção desta criatura chave de uma nação, Steve Coogan encarna aqui seu personagem mais dramático, digno de prêmios para todos os lados. Richard Gere é um nome de luxo, e ainda que empreste sua persona de bom rapaz para um político que vai se revelando uma alma caridosa (e justa) aos poucos, ele e todos o elenco empalidece frente à loucura sadia de Lohman. O sujeito não tem limites, e aparentemente nem o diretor/roteirista Oren Moverman, que conduz esta trama com a água fervendo em fogo alto. Apesar de ligeiramente inseguro do impacto a ser causado, insistindo em nomear as diferentes discussões com momentos de um jantar refinado, Moverman acertadamente entrega sua histórias nas mãos – ou deveria dizer na mente – de Paul Lohman. E o resultado é fantástico. Delineando como uma família com problemas acumulados explode, o acontecimento que os une é mais sério do que Deus da Carnificina, e isso serve como fio condutor durante todo o trajeto para uma análise ácida sobre a política e a sociedade norte-americana atual. Pelo menos isto é o que gostaria o nosso amigo, já imortalizado aqui, Paul Lohman.

★★★★☆ Wanderley Caloni, 2017-08-09 imdb