O Mau Exemplo de Cameron Post

Oct 23, 2018

Imagens

O Mau Exemplo de Cameron Post é um dos melhores exemplos sobre hipocrisia e lavagem cerebral religiosa quando o tema é homossexualidade. Ele é tão bom assim porque ele espalha as incoerências e intolerância durante um suposto tratamento para uma cura gay. E quer melhor momento para rever esse tema?

Estamos nos anos 90 e a Cameron Post do título, interpretada por uma surpreendentemente intensa (apesar de sua cara de novata) Chloë Moretz, é uma jovem adolescente que participa de um grupo de estudos da Bíblia com sua namorada. Sim, você já viu onde isso vai dar. Ao serem descobertas “no flagra” Cameron é internada em um centro de tratamento gay iniciado por uma psicóloga de araque que curou o próprio irmão.

Este não é um internato pesado como um sanatório, o que quer dizer que não há de fato tentativas coercitivas de manter os jovens fora das tentações do “pecado”. São apenas pessoas religiosas brincando de ser terapeutas com adolescentes de pais religiosos preocupados, ou pior, indignados que seu próprio filho tenha um comportamento que repudiam.

Isso quer dizer que alguns dos jovens encaram isso a sério porque já estão condicionados a obedecer autoridades e porque nessa fase da vida os hormônios podem indicar várias coisas sobre o próprio corpo. Há a devida representatividade que hoje é norma, onde os homens e brancas fazem parte dos que tentam de fato se converter, e os indígenas, latinos e a Moretz são os que questionam o sistema, então não se preocupe em ir assistir. Além disso, os líderes religiosos que comandam o local possuem o estereótipo daquele pessoal que organiza cultos suicidas (ou talvez religiosos lembrem ambos os grupos): são gentis, sempre tentam falar e agir calmamente e parecem saber tudo sobre você (embora não).

Por isso a melhor parte do longa são as contradições e hipocrisias que vão sendo reveladas aos poucos. A minha favorita é quando uma colega de Cameron durante o confessionário faz uma crítica ofensiva à garota, a coordenadora comenta que Cameron pode até não concordar com ela, mas precisa respeitar a sua verdade. Ora, ora, mas é exatamente isso que os movimentos gays pedem: apenas respeito pela sua verdade. É esse exemplo que torna o filme absurdamente superior, pois não esfrega as suas mensagens, deixando o próprio espectador chegar às conclusões necessárias (e se não estiver mal intencionado e de mente aberta conseguirá).

Este é um drama leve e engraçado de assistir hoje onde há mais esclarecimento sobre os gays, mas serve igualmente de um alerta para quem ainda tem receios e preconceitos velados: olhe para si mesmo, e veja as incoerências em suas ações ou discursos para depois tentar entender o que se passa na cabeça dos outros. Cada um com sua verdade.

Wanderley Caloni, 2018-10-23. The Miseducation of Cameron Post. EUA, 2018. Escrito por Desiree Akhavan e Cecilia Frugiuele baseado no romance de Emily M. Danforth. Dirigido por Akhavan. Com Chloë Grace Moretz, Steven Hauck, Quinn Shephard. Gays, homossexualidade, drama, religião. #mostrasp IMDB.